segunda-feira, 21 de maio de 2012

Freguesia de Rio Frio

Situada na área oriental do concelho de Bragança, a freguesia de Rio Frio dista cerca de vinte e cinco quilómetros da sede do concelho. É banhado na parte ocidental pelo rio Sabor. Com uma altitude média de quatrocentos metros, espraia-se por um relevo predominantemente planáltico e é composta pelos lugares de Rio Frio e Paçô.
O povoamento desta freguesia remonta à Idade do Ferro. Data desse período o povoado fortificado do Cabeço do Castro, referido pela primeira vez pelo Abade de Baçal. Ladeado pelos ribeiros da Jordana e Grial a poente e pela Ribeira das Maias a norte e nascente, beneficiava de uma boa posição geográfica e de boas condições naturais de defesa.
O primeiro documento escrito referente à freguesia data de 1144, reinava então D. Afonso Henriques. «Rivo-Frigido do Monte» aparece numa doação de terras ao Mosteiro de Castro de Avelãs. A paróquia deverá ter sido criada depois desta data e antes de 1258, pois nas Inquirições desse ano, ordenadas pelo rei D. Afonso III, já aparece a designação Santa Maria Rivulo Frigido.
Em 1299, D. Dinis concedeu-lhe carta de foral e deu-lhe o título de vila. Foi nessa altura que começou a crescer e a desenvolver-se. Metade da vila pertencia ainda aos monges do Mosteiro de Castro de Avelãs acima referidos. O nome da freguesia, Rio Frio, refere-se a usos da terra, anteriores ao século XII, e que deveriam remontar aos primeiros próceres bragançãos. De resto, a explicação do nome Rio Frio do Monte é óbvio. O monte a que se refere o topónimo é o da Nossa Senhora das Necessidades, em cujo cume está erecta a sua ermida.
Quanto ao rio, é o Sabor. A Igreja de Santa Marinha possuía duas terças partes da "villa", que eram foreiras, à excepção de três casais que pertenciam a nobres. Muito antigo é também o lugar de Paçó de Outeiro, anexo desta freguesia. Aparece igualmente nas Inquirições de 1258, sendo aí referido que foi uma honra do mosteiro beneditino de Castro de Avelãs. A partir de 1514, Rio Frio pertenceu ao concelho de Outeiro, que viria a ser exinto na segunda metade do século XIX. Transitou então para o município de Bragança.
 Em termos de património edificado, a Igreja Paroquial é o maior bem da freguesia. É um templo de uma só nave e de planta rectangular. Destacam-se na sua nave dois retábulos de estilo rocaille dos lados do arco triunfal.
A Casa da Família Lustriano, dos inícios do século, é de grande importância histórica. Aqui se refugiaram algumas das mais proeminentes figuras monárquicas depois da implantação da República.
Aqui passou muitas noites o Abade de Baçal, ilustre religioso e arqueólogo que muitas vezes demandou estas terras em busca do recolhimento necessário para a continuação da sua obra de carácter humanístico. A ordenação heráldica da freguesia, publicada em «Diário da República» a 11 de Dezembro de 2002, é a seguinte: Armas - Escudo de azul, um cruzeiro de ouro entre sete cristais de gelo, de prata, dispostos no chefe e nos flancos; campanha diminuta ondada de prata e azul de três tiras. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro:
“ RIO FRIO – BRANGANÇA “. Bandeira - De amarelo. Cordão e borlas de ouro e azul. Haste e lança de ouro.
Área: 3440 ha
População: Cerca de 350 habitantes
Património cultural edificado: Igreja Matriz, Igreja Paroquial de Paçó, Capelas de Nossa Senhora das Dores, de Nossa Senhora das Necessidades, de Nosso Senhor da Resgate em Paçó, de Stª Ana em Paçó, Fonte Romana e Outras Fontes, Forja Comunitária, Três Cruzeiros em Rio Frio, Dois em Paçó, Moinhos, Edifício da Sede da Junta, Edifício da Associação Desportiva e Recreativa de Rio Frio, Escola Primária desactivada em Rio Frio, Escola Primária de Paçó passou a Museu Rural 
Património Paisagístico: Vistas e Margens do Rio Sabor
Festas e Romarias: Festas de S. Sebastião a 20 de Janeiro, de Stº Estevão a 26 de Dezembro, de Nossa Senhora da Assunção no 2º Domingo de Agosto, de S. Roque na 2ª quinzena de Dezembro, de S. Francisco no 3º Domingo de Setembro, de S. João no Domingo mais próximo do dia 24 de Junho, de Stº António igual, de Nossa Senhora das Dores 6ªfeira antes do Domingo de Ramos, de Nossa Senhora das Necessidades a 8 de Setembro, de Nossa Senhora do Rosário no último Domingo de Agosto, de S. Sebastião na última 2ªfeira de Agosto
Gastronomia: Javali de Caldeirada, Botelo com Casca, Matança do Porco, Fumeiro e seus Derivados de Matança
Locais de lazer: Polidesportivo em Rio Frio com Balneários
Espaços lúdicos: Internet no Edifício da Junta, Museu Rural em Paçó
Orago: Nossa Senhora da Assunção
Principais actividades económicas: Agricultura, Castanha, Trigo, Batata, Comércio, Restauração
Colectividades: Associação Cultural e Desportiva e Recreativa e Social de Rio Frio, Associação da Qualidade de Vide de Paçó, Associação de Recuperação do Património


in:retratoserecantos.pt

1 comentário:

Anónimo disse...

podia entrar em contacto comigo pelo email: pjepva@yahoo.com.br para falar sobre o artigo "Freguesia de Rio Frio". Obrigado