terça-feira, 27 de novembro de 2012

Save the Donkeys Helping People - Precisamos da sua ajuda

A Associação Burricadas e a Reserva de Burros uniram esforços na criação de um novo programa de conservação para proteger o  burro, que é hoje em dia uma espécie ameaçada em Portugal e, em simultâneo, ajudar pessoas que beneficiarão da interação com os burros por razões educacionais e de saúde.
Precisamos da sua ajuda para construir novas instalações para abrigar mais animais e para iniciar um Programa de Asinoterapia dirigido a pessoas incapacitadas.
Com a sua preciosa contribuição, construiremos instalações no novo Parque dos Burros que irão abrigar 40 animais desta espécie, contribuindo para a sua conservação e, simultaneamente, reuniremos as condições que permitirão concretizar um projeto que em muito acreditamos: utilizar o burro como animal terapêutico.
Ao dar utilidade a estes animais, estamos a contribuir para a preservação da espécie e ao desenvolver  um programa de Asinoterapia estamos a melhorar a qualidade de vida de quem mais precisa. As atividades que serão desenvolvidas no âmbito deste programa beneficiarão pessoas com diversos tipos de perturbação, desde o indivíduo que se encontra com desordens a nível emocional, em estado de depressão ou ansiedade, até ao doente com deficiência profunda.
 Porque é que este projeto é importante
- É importante porque vai contrariar o desaparecimento do burro e valorizar esta espécie. Como é visível no gráfico que se segue, em 1940 havia cerca de 270 mil burros em Portugal e no final dos anos 90 apenas 40 mil animais. Atualmente no nosso país, o total de animais não chega aos 10 mil e continua em progressivo decréscimo.
- Porque vai criar condições para realizar sessões de terapia com diversos tipos de público e em particular com pessoas física ou mentalmente incapacitadas, incluindo crianças e idosos. Síndroma de Down, autismo, paralisia cerebral, hiperatividade, distrofias musculares, dificuldades em aprendizagem e fala, atraso no desenvolvimento neuro psicomotor, alzheimer e desordens emocionais são algumas das patologias a que se destinam estas técnicas terapêuticas que atuam a nível físico, emocional e mental dos pacientes.
- Porque este é um projeto de desenvolvimento sustentável que se preocupa com a preservação de uma espécie ameaçada, com o bem-estar animal e com a vida das pessoas.
- Porque irá contribuir para a investigação e conhecimento sobre os benefícios da Asinoterapia, quer para a pessoa quer para o animal, através de protocolos estabelecidos com Instituições de Apoio ao Deficiente e com Universidades.
- Porque nos permite iniciar um trabalho inovador em Portugal que se tem revelado de grande sucesso em outros países (Espanha, Inglaterra, França).
- O facto de o burro estar muito presente no nosso passado recente é uma mais-valia no tratamento de pessoas idosas que conviveram intensamente com este animal.
A sua ajuda é fundamental para:
- A criação de pastagens e abrigos para os 40 animais num terreno com 3 hectares, localizado no Concelho de Mafra, futuro Parque dos Burros.
- A criação de um espaço - ASINUS - com instalações apropriadas para deficientes e com boas condições de acessibilidade.
-A criação de instalações para o desenvolvimento de atividades de cariz pedagógico e de sensibilização para a valorização e preservação do burro sobretudo com crianças entre os 3 e os 15 anos.
- Continuarmos a nossa missão de acolher burros abandonados ou a necessitar de cuidados especiais, aumentando a nossa capacidade de resposta.
Quem somos e o que temos feito
- Associação Burricadas www.burricadas.org
A Associação para a Preservação do Burro - Burricadas é uma associação sem fins lucrativos, criada em Março de 2007, com o objetivo de divulgar e preservar o burro em Portugal.
O Abrigo do Jumento foi criado pela Burricadas para acolher burros velhos, abandonados e/ou maltratados, funcionando como um refúgio onde os animais recebem todos os cuidados necessários ao seu bem-estar.
Diogo Pimenta – Estudou Gestão, mas dedica-se há 10 anos a projetos de educação ambiental e proteção de espécies ameaçadas. Fundou a Associação para a Preservação do Burro – Burricadas no ano de 2007, sendo o seu responsável desde então.
- Reserva de Burros www.reserva-de-burros.com
A Reserva de Burros é um projeto nas mãos de Rute Candeias e de Jorge Falcão desde o ano de 2006. Com a experiência adquirida em projetos de educação ambiental e em animação turística, dedicaram-se desde então à elaboração de conteúdos e ao desenvolvimento de atividades que garantam a preservação do burro.
Em 2010 formaram-se em Terapia assistida com Animais e em Terapia Assistida com Burros, curso ministrado pela Associação ANDREA em parceria com a Universidade de Vigo (Espanha).
Presentemente dinamizam atividades pedagógicas com 24 burros, no entanto deparam-se com a falta das condições necessárias em termos de espaço e de acessibilidade que permitam concretizar ações de Asinoterapia.
Rute Candeias – Bióloga e pós-graduada em Etologia e em Ambiente. Tem formação em “Bem-Estar-Animal” e em “Terapia Assistida com Burros”. Trabalha há 12 anos em Educação Ambiental.
Jorge Falcão – Especializado em marketing, enveredou pela área do ambiente em 2006. Especialista em educação ambiental e em atividades outdoor. Em 2010 formou-se em Terapia assistida com Animais e em Terapia Assistida com Burros.
O Burro como animal ameaçado
O burro foi um dos animais mais utilizados pelo homem e de maior difusão em todo o mundo. A sua domesticação remonta aos tempos em que se iniciou a agricultura, sendo essencial na evolução dos seus processos através dos tempos. O uso deste animal ao serviço do homem já nos é relatado desde os tempos mais remotos, nas grandes movimentações populacionais, nas caravanas de mercadorias e outras migrações provocadas por guerras ou catástrofes naturais. Em Portugal a popularidade e proliferação do burro devem-se à sua natureza robusta e às características comportamentais deste animal.
Oriundo de regiões semidesérticas, trata-se de um mamífero de médio porte, de focinho e orelhas longas, adaptado às condições climatéricas mais inóspitas, solos pobres e relevo acidentado, dotado de grande resistência física e robustez, que o tornam capaz de suportar grandes cargas.
Infelizmente com a mecanização da agricultura e o desenvolvimento dos transportes, os burros perderam a sua utilidade, encontrando-se atualmente em vias de desaparecimento. Com a triste perca deste animal da nossa paisagem rural, fica também para trás toda uma história de cumplicidade e afetos que marcou gerações e deixou traços profundos na cultura e tradição portuguesa. Desconsiderado e relegado para segundo plano por comparação com outros animais domésticos, nunca foi devidamente valorizado e foi por isso muitas vezes esquecido no que diz respeito a medidas de proteção.
A terapia com animais e a Asinoterapia
A terapia assistida com animais diminui a perceção da dor e ansiedade, aumenta o nível de endorfina, ajudando a minimizar os efeitos da depressão, diminui a solidão melhorando consideravelmente o comportamento social, aumenta o desejo de lutar pela vida (Kawakami & Nakano, 2002; Hagmann, 1999).
A Asinoterapia deu os seus primeiros passos na Bélgica, nos anos 70 e é uma prática que utiliza o burrocomo coterapeuta graças às especificidades físicas e comportamentais que o caracterizam. O seu temperamento dócil e paciente, a sua temperatura corporal, a sua altura acessível e pouco intimidante e o facto de ser peludo, torna-o um elemento apelativo, permitindo trabalhar de uma forma tranquila e satisfatória com vários tipos de públicos diferentes.
Alguns dos benefícios atingidos com esta técnica são: melhoria da tonicidade muscular e da consciência corporal, melhoria do equilíbrio, aumento da autoestima e confiança, diminuição do stress e da agressividade, aumento da capacidade de concentração, entre outros.
Sessão demonstrativa de Asinomediação que decorreu na APERCIM - Associação para Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas do Concelho de Mafra
Como nos pode ajudar a concretizar este projeto:
- Contribuindo para esta campanha e beneficiando das divertidas contrapartidas que temos para si
- Partilhando esta campanha com os seus contactos pessoais e nas redes sociais
- Tornando-se nosso amigo no Facebook e no Twitter
- Participando nas nossas atividades de educação ambiental e de lazer.
 Em troca do seu precioso apoio receba as nossas fantásticas contrapartidas :-) (Dólares / Euros):
$5 / 3,86€ – E-mail de agradecimento e receção de notícias regulares sobre o nosso projeto.
$10 / 7,72€  – Diploma de agradecimento digital com a impressão do casco de um dos nossos animais e receção de notícias regulares sobre o nosso projeto.
$30 / 23,17€  – Como em cima mais um crachá com a foto de um dos nossos animais.
$60 / 46.34€ – Como em cima mais um Burrinho de Trapo artesanal feito à mão por uma artesã local.
$100 / 77.24€ - Visita guiada ao nosso espaço e participação nas atividades de tratamento dos animais. Inclui ainda o Burrinho de Trapo artesanal.
$200 / 154,47€ – Interação e Passeio com os burros pela natureza.Inclui ainda o Burrinho de Trapo artesanal.
$500/ 386,19€ – Participação numa expedição com os burros incluindo piquenique saloio. Inclui ainda o Burrinho de Trapo artesanal.
$1000 /  772,37€ - Fim-de-semana no Parque dos Burros e gravação do seu nome num mural de co-fundadores do Centro de Terapia Assistida com Burros. Inclui todas as contrapartidas referidas anteriormente.

2 comentários:

manuel disse...

Estou a escrever um livro com histórias de burros. Tem o título Burros da Ribeira de Muge. É um livro de histórias, maioritariamente passado com, e contado por mulheres. Estou na fase de procurar uma imagem para a capa. esta que tem várias mulheres montadas nos burros (aparece na net como burros de Mafra),agrada-me bastante. Será que pode dar-me autorização de a utilizar, ou caso não seja o autor, ou titular, dizer-me quem é. O livro é um livro de pequena tiragem, umas dezenas de exemplares, para distribuição apenas aqui na aldeia. desde já os meus agradecimentos.
MANUEL EVANGELISTA cpm_evangelista@hotmail.com

Hengerinaques disse...

Não sou o autor da foto nem conheço o autor.
No entanto, permita-me que lhe sugira que tire uma foto sua e tem a questão resolvida.
Não tire uma mas sim várias. Depois, escolha uma.

Um abraço e votos dos melhores êxitos pessoais e profissionais.