quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Transmontanos dizem adeus ao avião

O avião da Aerovip já abandonou a região. Partiu esta manhã do aeródromo municipal de Bragança, sem passageiros, e não se sabe se vai regressar.
Ontem a aeronave fez a última viagem entre a capital e o Nordeste Transmontano.
À chegada a Bragança, a cantora Dulce Ponte, que se radicou na região, era uma das passageiras e lamentou a suspensão desta ligação.
“Os 10 mil passageiros que transporta, por ano, e que são mais do que os do Metro de Almada, justificam a continuidade desta ligação”, considera. “No meu caso, vou de ir a Vigo a ou Madrid para apanhar voos internacionais, mas há pessoas que precisam deste avião para ir receber tratamentos médicos, há pessoas que residem aqui e trabalham em Lisboa”, acrescenta. “Faz muita falta”, remata a cantora.
O consultor da Aerovip, empresa que assegura a ligação aérea, mostra-se surpreendido com as justificações dadas à câmara de Bragança pela secretaria de estado das obras públicas e transportes. “Para nós é uma surpresa total pois a secretaria de estado dos transportes disse-nos exactamente o contrário e que estava assegurado o financiamento”, afirma Carlos Amaro. “Nunca nos foi falado do problema levantado pela União Europeia. Soubemos apenas pelas declarações do presidente da câmara de Bragança”, acrescenta e revela que “a ANA questionou a Aerovip porque tinha sido informada pelo INAC que o Governo ía manter a linha mais quatro anos dando a entender que era nos mesmos moldes”.
A suspensão da carreira aérea regional entre Bragança e Lisboa é precisamente o tema que vai estar em debate hoje no programa Estado da Região da Rádio Brigantia que vai para o ar depois das 10 horas.
 

Escrito por Brigantia

Sem comentários: