quarta-feira, 26 de novembro de 2014

É “incompressível” e “injustificável” o encerramento da Unidade de Convalescença, considera o presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Municipal

A Comissão de Saúde da Assembleia Municipal de Macedo de Cavaleiros pronunciou-se sobre o possível encerramento da Unidade de Convalescença, que deve acontecer até ao final do ano.

O presidente, José Madalena, considera “incompreensível” e “injustificável” o encerramento desse serviço.

Quanto à possibilidade de aumentar a capacidade da Unidade de Cuidados Paliativos, a funcionar também na mesma Unidade de Cuidados Continuados Integrados, José Madalena diz poder ser um presente envenenado.

Maria José Peredo esteve internada nesta unidade duas vezes. Destaca a qualidade do serviço, e acrescenta que o cuidado a tempo inteiro do que obter estes cuidados em casa.

Entretanto, a ULSNE, em comunicado, fez saber que, na prática, não vai haver retirada ou diminuição dos cuidados de convalescença. A partir de janeiro de 2015, mudam os moldes em que eles são prestados, numa “articulação entre o internamento hospitalar e os cuidados de saúde primário.

Assim, caso a situação assim o justifique, o doente pode ver o tempo de internamento prolongado no hospital, ou pode continuar a receber cuidados em casa, através de uma das 10 ECCI’s – Equipa de Cuidados Continuados Integrados.

No mesmo comunicado, a ULSNE confirma que vai haver uma reconversão do espaço da Unidade de Convalescença, para aumentar o número de camas da Unidade de Cuidados Paliativos. De 8, vai passar a contar com 15 camas. A ULSNE explica ainda que não serão reconvertidas as 18 camas do serviço, devido à natureza dos cuidados paliativos.

Quanto aos postos de trabalho, “ULS Nordeste garante igualmente a salvaguarda de todos os postos de trabalho afetos à atual Unidade de Convalescença, já que estes colaboradores irão continuar a desempenhar funções assistenciais na prestação de cuidados paliativos.”

Escrito por ONDA LIVRE

Sem comentários: