sábado, 26 de setembro de 2015

A força de uma lâmpada na escuridão

                        OPINIÃO
Volto a começar da mesma forma que a anterior crónica... Diariamente, ou quase, e dada a proximidade a que habito do Castelo mais bonito de Portugal (para mim, pelo menos...), impõe-se um passeio neste belo monumento, seja no seu interior ou no seu exterior, admirando a sua beleza ímpar de uma construção que sobreviveu ao longo dos tempos desde a Idade Média. Mas ao longo do passeio, se for nocturno, a coisa complica!!!
Ou bem que se conhece cada pedra da calçada, ou então a visita tem que ser feita com o auxilio do veículo para iluminar o caminho... Mas os locais pedestres não podem ser visitados de carro! E quando por lá se passa, o que se vê, não agrada a ninguém! Claro que eu, não tendo qualquer receio de passar por esses locais iluminados pela lua (se a houver) conheço a localização de cada candeeiro, ali colocado pelas entidades oficiais, para tornar o monumento e a sua área circundante mais aprazível...
No entanto e deslocando-nos pela rua de S. Francisco, verifica-se que há um sem numero de lâmpadas que acendem e apagam em curtos intervalos de tempo, cerca de 2 minutos, dando indicação de que as lâmpadas chegaram ao seu término, ou algum balastro (se o tiver) está numa temperatura muito alta e desliga, sendo por isso necessária a sua substituição... Mas isto há vários anos e a cada dia que passa se vê aumentar a escuridão... no interior do Castelo, passa-se o mesmo... 
A caminho do antigo Governo Civil, agora quartel dos GIPS, passamos por uma série de casas que apesar de serem muito juntas e num espaço em que poderia ter até 3 candeeiros, temos um, tornando a rua escura e propicia para um qualquer assalto, a alguém mais descuidado ou de inferior estatura... nomeadamente senhoras... 
É que parece que ainda não sabem mas há muita gente que é obrigada a andar a pé, porque não há dinheiro para carros, e menos ainda para o sustentar! Mas há! Muita gente!!!!!!!!!!!!!!!!!! Seguindo pelas ruas Eng. José Beça e Abílio Beça até à Praça da Sé, há bastante iluminação, mas os globos que protegem as lâmpadas precisavam de uma limpeza há anos!!!!!! Cheias de pó, terra e insectos, a luz que deveria chegar aos passeios fica retida no seu interior! Depois dezenas de lâmpadas que foram colocadas pelo projecto POLIS no chão, embutidas e caríssimas, estão apagadas, ou por poupança, ou por se terem fundido... 
Segue-se até à Av. João da Cruz e aí logo em frente ao antigo BNU vemos um mastro sem vela, isto porque os candeeiros que formavam a estrutura de quase 100KG caiu em 04 de Setembro de 2014, felizmente sem vitimas a lamentar... 
No entanto a autarquia disse que ia ser feita uma vistoria a todos os candeeiros que estivessem suportados por cabos na cidade. O presidente do município, disse que aquela estrutura já estava a ser avaliada por técnicos da EDP e assegurou que a autarquia ia verificar de imediato a situação de todas as outras. Passado mais de um ano, nem há, que se saiba, resultados do estudo, nem se vai ser colocado outro naquele local, ou seja não se sabe nada... 
Já sem falar nas dezenas de caixas de ligação partidas nas fachadas dos edifícios, nos próprios candeeiros, as caixas da EDP, onde estão alojados os fusíveis de proteção das habitações e da iluminação publica destruídas e presas com fitas nas suas portas... candeeiros vandalizados por todo o lado na cidade, partidos, em curto circuito e depois, pum, desligou-se a luz na cidade em dia de chuva... Porquê?? Porque num desses globos partidos, entrou água, fez curto-circuito e lá se foi a luz durante uns minutos até que alguém vá verificar o que se passa, porque o circuito não rearmou... depois tem que se ver em que linha é a avaria, isto se ninguém ligar antes para os bombeiros a dizer que está um poste ou uma caixa a arder... Isto é Bragança a nível de iluminação... 
Na vossa rua, no vosso bairro, certamente que também há situações idênticas... A pergunta que se impõe é: a quem atribuir responsabilidades?? À Autarquia ou à EDP, ou em ultima análise aos habitantes ou aos vândalos?? Seria tempo e hora de fazer algo pela iluminação da cidade! Não se pode esperar pela tecnologia LED que irá ser colocada sabe-se lá quando, e esperar que as pessoas não reclamem de falta de luz na sua área de residência ou na área que querem visitar em momentos de lazer! Sim, porque nem toda a gente gostaria de ter que ficar em casa a ver a novela num qualquer canal da TV portuguesa... Vive-se a Hora do Planeta todos os dias em Bragança! Luzes apagadas por todo o lado, já para não deixar de comentar que a partir das 05 Horas da Madrugada se apagam todas as lâmpadas nos bairros e ruas da cidade, para poupança, independentemente de quem tenha que se levantar
cedo para ir trabalhar, sim trabalhar, pois nem todos têm o horário das 9 às 5... Quando se apagam as lâmpadas, luz só depois quando o dia raiar... Vivemos tempos da idade média, mas pagamos tempos de modernidade! Faça-se algo pela iluminação da cidade, ontem, que hoje já é tarde....

Crónica do Corneteiro do BC3 // Por Fernando Aragão
in:Correio-Transmontano no facebook

Sem comentários: