terça-feira, 29 de setembro de 2015

Instituto Jean Piaget em Macedo de Cavaleiros investe na formação

Hoje, o Instituto Jean Piaget de Macedo de Cavaleiros abriu as portas, não a caloiros do ensino superior, mas a 25 jovens, entre os 25 e os 35 anos, ao abrigo da Medida Vida Ativa. Os acordos de cooperação entre o IEFP e 25 universidade e institutos politécnicos do país, 7 do norte, foram assinados a 1 de julho, e começam agora a funcionar. O Piaget foi a única escola privada a norte a conseguir este acordo, numa lista onde o IPB de Bragança e a Utad também figuram.

São formações para licenciados na área das tecnologias de informação e comunicação, com a duração de 6 meses, 3 deles em contexto laboral, e que visam a posterior integração dos formandos nos locais de estágio, como explica Maria Helena Chéu, presidente do Campus Universitário Nordeste.

Com as candidaturas para o ensino superior ainda abertas, Maria Helena Chéu reconhece que nos últimos anos tem sido mais difícil captar jovens, mas refere que o Instituto Jean Piaget em Macedo de Cavaleiros nunca encerrou, tendo tido sempre alunos, quer em mestrado, quer a realizar estágios fora da instituição, o que não se verificou em Mirandela.

Maria Chéu acrescenta que há vontade de continuar a investir em Macedo de Cavaleiros. Para isso há já inscrições abertas para um curso de osteopatia, de 10 meses de duração, para bacharéis ou licenciados em áreas da saúde.

A aposta futura parece mesmo ser na formação, até para aumentar os postos de trabalho, que diminuíram em fevereiro, devido à requalificação nacional da instituição, e rentabilizar as estruturas existentes, como, por exemplo, os espaços para desporto, que já acusam os sinais do pouco uso. Há por isso abertas candidaturas para o Centro Para a Qualificação e do Ensino Profissional, para pessoas com menos habilitações escolares, em áreas como Ciências Informáticas, Serviços de Apoio a Crianças e Jovens, Desporto ou Saúde.

Alguns destes cursos devem abrir em outubro. As instalações de Mirandela também vão receber formações, nomeadamente em Higiene e Segurança Alimentar e Implementação do Plano HACCP, e há vontade de descentralizar mais cursos pelo distrito de Bragança e Vila Real. Em Mirandela está ainda a ser que está a ser desenvolvido um centro de investigação agroalimentar, que neste momento está a candidatar um projeto no âmbito dos azeites aromatizados.

Escrito por ONDA LIVRE

Sem comentários: