segunda-feira, 30 de maio de 2016

Alfândega da Fé responde a José Cid com "Festa do Orgulho Transmontano"

O Município de Alfândega da Fé quer transformar o próximo dia 11 de Junho numa “Festa do Orgulho Transmontano”. É resposta da autarquia às declarações que o cantor José Cid, cabeça de cartaz neste dia da Festa da Cereja, proferiu ao “canal Q”, em que se referia aos transmontanos caracterizando-os como “pessoas medonhas, feias, desdentadas” e que “nunca viram o mar”.
Esta entrevista foi já em 2010 mas o canal repetiu-a este fim-de-semana e, desta vez não passou despercebida. Começou a ser partilhada nas redes sociais, provocando uma onda indignação no seio dos transmontanos, que não pouparam críticas, insultos e até ameaças ao cantor. José Cid disse ainda que deveria ser construída em Trás-os-Montes “uma muralha parecida com a da China” para não deixar passar alguma música criada nesta região. 
Afirmações, agora divulgadas e que levaram o município de Alfândega a cancelar o concerto do próximo sábado, como explica a autarca Berta Nunes. "Decidimos cancelar o concerto porque consideramos que não há condições para o realizar. Consideramos que as declarações de José Cid são infelizes e lamentáveis que resultam do desconhecimento daquilo que é a cultura de Trás-os-Montes e daquilo que são os transmontanos. 
Apesar de já terem sido proferidas há cerca de seis anos, o programa foi agora passado novamente e partilhado e consideramos que não estão reunidas as condições mínimas para que ele possa actuar em Alfândega da Fé", referiu a autarca. 
Para substituir o cantor, o município vai convidar artistas transmontanos. Galandum Galundaina e Roberto Leal são os nomes em cima da mesa. "O nosso objectivo é transformar o dia 11 de Junho e a Festa da Cereja numa Festa do Orgulho Transmontano. Penso que os transmontanos devem estar orgulhosos da sua história e daquilo que são e não há razão nenhuma para que aquelas declarações do José Cid tivessem sido feitas. São declarações completamente fora de contexto, que resultam de uma ignorância daquilo que é Trás-os-Montes e de uma falta de respeito pelos transmontanos, que não podemos tolerar", frisou Berta Nunes. 
A autarquia está a ponderar processar José Cid pelos danos de imagem que considera que "são consequência directa das suas declarações". 
O Município de Alfândega referiu, em comunicado que "toma boa nota dos pedidos de desculpas públicas do cantor, mas tal não anula os constrangimentos provocados". 
Além da autarca de Alfândega da Fé, também o presidente do Município de Bragança, Hernâni Dias se pronunciou sobre este assunto, através de uma mensagem partilhada na página oficial de Facebook da autarquia, onde mostra o seu “desagrado, repúdio e desilusão”pelas lamentáveis declarações que José Cid proferiu”, exigindo um pedido de desculpas. 
O autarca de Bragança lembrou ainda que o cantor actuou nas festas da cidade há pouco tempo, tendo elogiado as pessoas desta cidade, o que Hernâni Dias considera que “não passou de pura hipocrisia”. De facto, o cantor pisou o palco brigantino em 2011, um ano depois desta entrevista, que na altura não tinha merecido o olhar atento dos transmontanos. 
Agora, a onda indignação em torno das declarações do músico levou-o mesmo a suspender a sua página de Facebook e inspirou a criação da página “Todos contra José Cid” e de uma a petição pública a exigir um pedido de desculpas. Em declarações à SIC, José Cid, assume que se excedeu e pede desculpa. Desculpas à parte, os transmontanos parecem, para já, não esquecer a forma como o cantor se referiu aos habitantes desta região. E o próximo concerto em solo transmontano, que seria sábado, em Alfândega da Fé, foi cancelado. 

Escrito por Brigantia

1 comentário:

Regina Celia Cordeiro Favaro disse...

Sou brasileira, mas minhas raízes são transmontanas. Conheço boa parte da região e me orgulho muito de ter meus queridos avós nascido numa região tão linda como todo é o país. Roberto Leal, vive aqui no Brasil mas em todas as suas apresentações sempre faz questão de dizer que é transmontano e enaltece suas humildes origens. Que seja convidado para a festa, não vai decepcionar. Lamento as declarações do Sr. Cid, são injuriosas, desrespeitosas. Sou transmontana de alma e coração apesar de brasileira.Em tempo, minhas origens vêm de Vilarelhos Alfandega da Fé. Uma aldeia de gente simples, honesta, trabalhadora. Amo Vilarelhos.