segunda-feira, 30 de maio de 2016

PERSONA NON GRATA EM TRÁS-OS-MONTES - Concerto de José Cid em Alfândega cancelado

Depois das declarações “insultuosas” de José Cid que semearam sentimentos de ódio e revolta entre os transmontanos, a autarca alfandeguense decidiu cancelar o concerto de dia 11 na Festa da Cereja.
Numa entrevista realizada pelo apresentador Nuno Markl para o Canal Q, José Cid “insultou e ofendeu” as gentes transmontanas com as suas declarações que, apesar de terem sido feitas há cinco anos, só agora se tornaram do conhecimento público após ter sido feita uma reposição do programa.

Com a sua próxima atuação em Trás-os-Montes agendada para o dia 11 em Alfândega da Fé, por ocasião da Festa da Cereja, a presidente da Câmara Municipal assegurou esta manhã ao Diário de Trás-os-Montes que o concerto vai ser cancelado e que, até à hora de almoço, vai ser revelado o nome do artista que irá substituir José Cid.

“Claro que vamos cancelar a vinda dele e vamos substituí-lo por outro. É evidente que temos de repudiar essas afirmações”, começou por explicar Berta Nunes.

“A partir do momento que temos conhecimento do que ele disse, não podemos de forma nenhuma ser coniventes e aceitar que ele viesse à Festa da Cereja porque enquanto ele não fizer um bom pedido de desculpas ele irá ser sempre uma persona non grata aqui em Trás-os-Montes”, revelou a edil alfandeguense, acrescentando, “e nem sei se o pedido de desculpas irá resolver o assunto”.

“Do ponto de vista da Festa da Cereja, nós não vamos aceitar que ele venha e vamos substituí-lo por outro artista. Estamos já a tratar disso. E achamos que ele devia pedir desculpas porque, de fato, tem muita gente em Trás-os-Montes que era fã dele, que gostava da música dele, e ele deve um grande pedido de desculpas a essas pessoas e aos transmontanos”, sustentou Berta Nunes, para quem esse pedido de desculpas poderá não conseguir reparar o estrago provocado pelas palavras que proferiu.

Com a decisão do cancelamento tomada, a autarquia desdobra-se, neste momento, em contatos com artistas e agentes no sentido de tentar encontrar um nome sonante que preencha o vazio criado no dia 11 do cartaz da Festa da Cereja após toda esta situação.

Recorde-se que, na entrevista, José Cid afirmou que devia ser construída uma muralha da China em Trás-os-Montes para “não deixarem passar alguma música que vem de além porque, efetivamente, é um prejuízo muito grande para a cultura portuguesa”. O músico disse, ainda, que “essas pessoas do Portugal Profundo já deviam ter evoluído. Pessoas que nunca viram o mar vão para o Pavilhão Atlântico, pessoas assim medonhas, feias, desdentadas e isso não é Portugal”.

Declarações que provocaram uma reação em cadeia com milhares de post a inundarem a internet com insultos menos próprios ao músico, sobretudo, de pessoas a dizerem-se “humilhadas” e “ofendidas”. Essa “revolta” de pessoas maioritariamente transmontanas levou à formação de vários grupos manifestamente contra José Cid e até mesmo à criação de uma Petição Pública onde é exigido ao músico um pedido de desculpas. 

Ainda esta manhã na Rádio Comercial, também Nuno Markl já se veio a distanciar das afirmações de José Cid, garantindo que gosta muito das gentes transmontanas e, inclusive, de visitar Trás-os-Montes.

Bruno Mateus Filena
in:diariodetrasosmontes.com

Sem comentários: