segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

28 mil visitantes passaram pela XXI Feira da Caça e Turismo em Macedo de Cavaleiros

Terminou ontem a feira da caça e do turismo de Macedo de Cavaleiros. A organização estima que cerca de 28 mil pessoas tenham passado pelo parque de exposições para a vigésima primeira edição do certame.
A iniciativa teve este ano como destaque o primeiro congresso terras de cavaleiros que debateu os geoparques e o turismo na região e na qual foi apresentada a estratégia de turismo nacional para os próximos anos. O presidente do Turismo de Portugal, Nuno Fazenda, garantiu que regiões como a transmontana não foram esquecidas no delinear desta estratégia e que a coesão territorial é um dos objectivos deste plano que se encontra em fase de discussão pública.
“Um dos desafios inscritos na estratégia para o turismo é a coesão territorial, mitigar as assimetrias nacionais e de puxar e desenvolver turisticamente os territórios do interior. Nas prioridades ao nível dos dez activos estratégicos para o turismo foram que identificados alguns que têm a ver de forma mais directa com Trás-os-Montes e o Douro são os elementos do património histórico-cultural, do património cultural e do activo água, destacando-se a albufeira do Azibo na região”, adiantou.

A gastronomia e os vinhos serão outros dos activos que poderão ajudar a impulsionar o turismo na região, o que só acontecerá, na opinião de Nuno Fazenda, com um conjunto de estratégias e medidas. Uma das que destaca é uma linha de apoio com cerca de 10 milhões de euros disponíveis em exclusivo para o interior.

“Não é com um único projecto ou medida, será através da concertação de várias medidas e acções. Nesse contexto está a aberta uma linha que o Turismo de Portugal lançou recentemente que é para valorização do interior, para apoiar projectos nesta área geográfica e esse é apenas um exemplo de uma discriminação positiva e isso compreende várias dimensões, quer infraestrutural quer de promoção turística”, referiu.

Nesta feira da caça e do turismo, considerada o maior certame desta natureza, o geoparque terra de Cavaleiros esteve em destaque não só no congresso, mas promovendo-se através da gastronomia. Várias receitas inovadoras foram criadas por alunos do curso de restauração do agrupamento de escolas de Macedo de Cavaleiros e mostradas pela primeira vez na feira. Uma forma de aliar os produtos da região e o geoparque, como explica o aluno Carlos Choupina.

“O geoparque pediu-nos para associar produtos que nós fazíamos com os minerais da terra, temos os umbiguitos, um bolo com amêndoa que imita o símbolo do geoparque, temos os micaxistos que é massa folhada com alheira, temos as granadas que têm a forma de pedras encontradas no geoparque, fizemos uma mistura de alheira com uma pasta de castanha e chamamos de granadas”, referiu o aluno.

Desde quinta-feira cerca de 28 mil pessoas passaram pela feira da caça e do turismo de Macedo de Cavaleiros. 

Escrito por Brigantia
Olga Telo Cordeiro

Sem comentários: