sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Governadores Civis do Distrito de Bragança

Guilhermino de Barros
Os supremos magistrados chamados governadores civis tiveram no princípio as designações de «Prefeitos provinciais» e «Administradores gerais». A instalação do governo civil de Bragança teve lugar a 28 de Setembro de 1835. A lista dos governadores civis deste distrito que damos a seguir encontra-se no «Livro das Actas de Posse» dos mesmos, existente no governo civil desta cidade, que começa na segunda gerência de João Manuel de Almeida Morais Pessanha.
Os seus antecessores vêm mencionados numa folha avulsa, dactilografada, existente no mesmo edifício, a qual foi publicada em O Nordeste de 20 de Março de 1908. Também nos extractos da sessão da câmara dos deputados de 19 de Maio de 1866 publicou o Diário respectivo uma lista dos governadores civis de Bragança, por sinal muito incompleta.
Não mencionamos aqui os nomes desses magistrados que serviram interinamente; e dos substitutos mui excepcionalmente referimos alguns.

Segue a lista:

Venâncio Bernardino Ochoa.
Manuel de Castro Pereira de Mesquita Pimentel Cardoso e Sousa.
António Rodrigues Sampaio (substituto).
Rodrigo Pinto Pizarro Pimentel de Almeida Carvalhais.
Joaquim Ferreira Real.
João Manuel de Almeida Morais Pessanha.
Júlio do Carvalhal de Sousa Teles.
Francisco Xavier de Morais Pinto.
António Júlio Taveira Pinto Pizarro.
António José de Miranda.
Manuel de Almeida Pessanha.
Joaquim Xavier Pinto da Silva.
Alexandre Pinto da Fonseca Vaz.
Guilhermino Augusto de Barros.
Jerónimo Barbosa de Abreu e Lima.
Cláudio Mesquita da Rosa.
António Joaquim Ferreira Pontes.
Aires Guedes Coutinho Garrido.
José Alves Pinto de Azevedo.
Jacinto António Perdigão.
Francisco de Almeida Cardoso e Albuquerque.
Augusto Correia Godinho Ferreira da Costa.
Carolino de Almeida Pessanha.
Diogo Albino de Sá Vargas.
Tomás António Ribeiro Ferreira.
Adriano José de Carvalho e Melo.
António Maria de Morais Machado.
Eduardo José Coelho.
José Tibério de Reboredo Sampaio e Melo.
Casimiro António Ribeiro da Silva.
Doutor João José de Freitas; tomou posse em 8 de Outubro de 1910.
Doutor Domingos Frias de Sampaio e Melo (substituto); tomou posse em 2 de Novembro seguinte.
Doutor António Luís de Freitas, em 20 de Junho de 1911.
José Maria Quirino Pacheco de Sousa, em 16 de Outubro seguinte.
Luís da Costa Amorim, em 24 de Fevereiro de 1912.
Doutor Agostinho Lopes Coelho (substituto), em 12 de Abril seguinte.
Custódio José Ribeiro, em 23 de Janeiro de 1913.
Doutor António Avelino Joice, em 31 de Março de 1914.
Custódio José Ribeiro, em 15 de Janeiro de 1915.
Doutor Alfredo Monteiro de Carvalho, em 23 de Fevereiro seguinte.
Doutor António Avelino Joice, em 31 de Maio, idem.
Doutor Constâncio Arnaldo de Carvalho, em 7 de Novembro de 1917.
António Augusto Teixeira (substituto), idem.
Ernesto Pinto Emílio de Oliveira, em 11 de Dezembro de 1917.
António Amorim de Carvalho, em 20 de Dezembro, idem.
Eduardo Ferreira de Almeida, em 19 de Fevereiro de 1918.
Doutor Luís António Rodrigues Lobo, em 30 de Março, idem.
Carlos António Leitão Bandeira, em 21 de Janeiro de 1919.
Carlos Augusto Vergueiro, em 24 de Janeiro, idem.
Desidério Augusto Ferro de Beça, em 21 de Fevereiro, idem.
António Bastos Pereira (substituto), em 10 de Abril, idem.
Doutor António Carlos Alves, em 12 de Junho, idem.
Custódio José Ribeiro, em 22 de Abril de 1920.
António de Moura Pegado, em 19 de Outubro, idem.
Doutor Agostinho Lopes Coelho, em 10 de Junho de 1921.
Acácio Augusto Mariano (substituto), em 18 de Julho, idem.
Teodorico Ferreira dos Santos, em 30 de Novembro, idem.
Adrião Martins Amado (substituto).
Doutor Álvaro da Cunha Ferreira Leite, em 21 de Novembro de 1923.
José Monteiro Cabral de Vasconcelos, em 4 de Janeiro de 1924.
Benjamim dos Anjos Jerónimo, em 13 de Fevereiro de 1924.
Doutor Alfredo Rodrigues dos Santos, em 19 de Abril, idem.
Adrião Martins Amado, em 19 de Setembro, idem.
Coronel José Anastácio Leite Falé, em 30 de Maio de 1926.
Tomás Augusto Salgueiro Fragoso, em 17 de Junho, idem.
João Baptista Lopes Monteiro (substituto), idem, idem.
Artur Pinheiro Coelho (idem), em 15 de Outubro, idem.

Memórias Arqueológico-Históricas do Distrito de Bragança

Sem comentários: