quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Município de Macedo quer aumentar eficiência da rede de distribuição de água

Detetar fugas nas condutas para poder melhorar o abastecimento de água no concelho de Macedo de Cavaleiros, é o propósito do município, numa ação que tem vindo a acontecer nos últimos dias.
Em causa estão perdas de água em baixa, que por ano representam um défice nos cofres da autarquia de 700 mil euros.

Esta ação já passou por 8 aldeias, e vai cobrir todo o concelho, garante Carlos Barroso, vice-presidente.

“Estará terminado [o processo] quando o concelho estiver coberto. Temos contratualizado um número de fugas, que será avaliado aquando do balanço. Só pagamos as fugas que efetivamente estão a ocorrer, não as que já estavam sinalizadas.

Nesta semana e meia em que estamos a levar a cabo este levantamento, já reparamos 8 fugas. Foram detatadas 40, em breve outras tantas poderão ser detetadas. Depois, entram na cidade, e aí não sabemos quantas fugas poderão ser encontradas.”

Neste momento, a dívida do município macendese para com a empresa Águas de Portugal ronda os 7 milhões de euros. Estão alocados 200 mil euros no Plano e Orçamento de 2017 para investir na rede de distribuição pública. Mais 350 mil estão candidatados a fundos comunitários, para serem empregues no cadastro das condutas do concelho.

“Teremos que ganhar eficiência nos consumos não faturados, nomeadamente dos edifícios públicos, como o estádio municipal e as piscinas, que são os grandes consumidores do município.

Vamos depois iniciar um processo de combate à fraude, para aqueles que arranjam subterfúgios para terem consumos que não são pagos.”

Macedo de Cavaleiros a apostar no melhoramento da rede de distribuição de água em baixa.

No verão este mesmo assunto foi notícia, quando os habitantes do Bairro de São Francisco daquela cidade se queixaram da falta de pressão nas torneiras, em especial ao final do dia.

Este sistema de deteção de fugas está a ser feito por uma empresa especializada, que utiliza um método acústico para detetar fugas não visíveis nas condutas, e que por isso são mais difíceis de reparar. A jornalista Tânia Rei acompanhou o processo na aldeia de Gralhós.

O município de Macedo de Cavaleiros a envidar esforços para reduzir as perdas de água em baixa, e assim conseguir melhor o abastecimento à população, mas também equilibrar a faturação do serviço.


Escrito por ONDA LIVRE

Sem comentários: