sexta-feira, 13 de julho de 2018

Os Putos e as Miúdas dos partidos do círculo…

Aparecem nas Instituições. Bem vestidos e bem vestidas. Pé ante pé. Mostram-se humildes e prontos a aprender. Sorriem. Ninguém sabe bem como apareceram “ali” nem porquê…
Os Putos, naturalmente, são subservientes e vão, como figurantes, a todas.
Elas, as miúdas, por norma, têm sempre uns palmitos de cara. Convém…para embelezarem as fotos e os filmes e para fazerem número…e, claro, também vão a todas.
Começam simpáticos e elas também.
Fazem-se sempre acompanhar, ou acompanham, as “altas esferas”, tipo adornos.
Passados uns tempos começam a olhar para os velhos, e para as velhas, com sobranceria alguma arrogância, altivez e segurança.
Passados mais uns tempos, acontece o previsível.
Já estão de pedra e cal na instituição, já mandam, MAL mas mandam…ou pensam que mandam.
Passa a "valer" mais a opinião dos Boys e das Girl´s do que a dos velhotes que deram 30, 40 anos... uma vida de dedicação às instituições.
Fazem os currículos a profissionalização e a experiência profissional nos jantares, nos copos da “night”.
Como têm, as agora obrigatórias e CAGATIVAS, licenciaturas, que lhes ensinaram tudo menos o básico, SABER ESCREVER sem erros ortográficos e o tempo dos verbos, começam de imediato a ganhar mais do que os velhos, e as velhas, que sustentam e fazem andar a máquina, cada vez mais ferrugenta, das instituições. Esses velhos e essas velhas que têm décadas de serviço nas instituições e que se meterem um atestado médico a instituição congela.
Esses velhos e essas velhas que sentem a instituição como a missão que têm que cumprir.
Esses putos e essas miúdas, entram à hora que querem, saem à hora que querem…fazem o que querem. São recebidos como heróis e heroínas, como salvadores da pátria. A única obrigação "sine qua non" é NUNCA faltarem às festas, sejam elas a que horas forem.

VIVA A REPÚBLICA!

Claro que estou a falar dos bebés das JOTAS, os JOTINHAS.
Estou a falar do Instituto CUNHA.
E, claro, também há os vira-casacas que bamboleiam conforme lhes convém, e que interessam como apêndices para fazer coro.
Estes, os do último parágrafo, envergonham uma geração que prometeu, e lutou, por um país mais justo e com iguais oportunidades para todos. Duvido que os filhos e as filhas, não se envergonhem deles...e só não lho dizem por medo de serem deserdados.
Os Putos e as Miúdas…ou aprendem o que é a vida ou…podem ter um desgosto. Eles, elas, os papás, as mamãs…os padrinhos.
Já vi tanta “coisa”. O que hoje é verdade amanhã é mentira e vice-versa, claro.
Metem-me nojo as “pessoas” que se vendem, que se deixam comprar.
Um dia, num determinado concurso público, levei às costas uma máquina de escrever com teclado nacional hcesarop, desde o fundo da Rua Direita até à Escola Industrial e Comercial, onde se iam realizar as provas. Levei às costas, porque nunca tive papá e os carros estavam nos stands. A “tipa” era pesada garanto-vos…
Agora os "concursos" são fatos feitos à medida do candidato e onde só ele/a cabe.
Os concursos públicos são apenas para "arranjar" emprego, ou tacho, aos afilhado/as e aos correlegionários. As verdadeiras necessidades das instituições e das populações são o que menos importa.

E pronto, foi só um desabafo.

Peço a esta rapaziada mais nova que GRITE, que não se deixe comprar, que não vergue a cerviz aos poderes instalados.
Um dia, um ano, numa qualquer geração, os melhores serão valorizados e a merda há-de desaparecer com a ação do autoclismo.
Ou então, perfilem-se e corram a inscrever-se nos partidos...aproximam-se eleições.
À semelhança do slogan do concurso televisivo...você decide.

Beijos e abraços.

Àh…já me esquecia e era imperdoável.

VIVA A LIBERDADE!

Como perguntou o Zeca Afonso no Coliseu...Onde para a juventude? Estão a curtir "Uma de Qual?"...




HM





Sem comentários: