terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Presidente da FNAP não acredita na erradicação da vespa asiática em Portugal

O presidente da Federação Nacional dos Apicultores de Portugal não acredita na erradicação da vespa asiática, no nosso país. Apesar de admitir que a situação já não é tão grave, fruto do plano nacional de combate que está em vigor, Manuel Gonçalves defende ser necessário implementar uma nova medida que passa por equipar as zonas tampão para facilitar a destruição dos ninhos.
O líder da FNAP começa por sossegar os apicultores transmontanos, ao assegurar que a maior concentração de vespas asiáticas está na zona de Aveiro

“O percurso dela foi do Minho, pelo Mondego para Estarreja, Aveiro, não tem vindo para norte. Não está controlada, mas sabemos onde está e tem-se actuado a partir daí”, referiu.

Para Manuel Gonçalves, a possibilidade de saber onde está mais radicada a vespa asiática tem sido uma das vantagens do plano nacional de combate, mas o presidente da FNAP diz ser necessário implementar novas medidas. “Tem-se feito a destruição dos ninhos e agora é preciso passar para a segunda fase do plano que é uma nova candidatura para equipar as zonas tampão para fazer a destruição de ninhos”, frisa.

Manuel Gonçalves diz ainda que o plano é demasiado burocrático porque inclui muitas instituições públicas

“É um pano que tem muitas instituições públicas, muito difícil de trabalhar, pela dificuldade administrativa de desenrolar todo o processo. Para fazer uma acção de sensibilização para a vespa temos de falar com 7 ou 8 organizações desde a protecção civil, à DGAV, aos serviços agrícolas, ao ICNF”, descreve Manuel Gonçalves.

O presidente da FNAP não acredita que seja possível erradicar a vespa asiática do nosso país, desde logo porque ainda não existe a consciência de que se trata de um caso de saúde pública

“Pessoalmente, não acredito que ela se consiga erradicar, o que sucede é que ela cresce muito quando aparece e depois ou cai a pique ou estabiliza, ela não caiu e penso que se vai manter. Mas temos de ter em atenção que a vespa é um problema de saúde pública e de segurança das pessoas, e isso é o mais difícil no plano, fazer as pessoas ver isso”, afirmou.

Manuel Gonçalves a defender que este combate à vespa asiática tem de ser um desígnio nacional e não apenas dos apicultores

Declarações do presidente da FNAP, à margem das jornadas apícolas regionais da Terra Quente, que decorreram, durante o fim-de-semana, em Mirandela.

A iniciativa pertenceu à cooperativa de produtores de mel da terra quente e frutos secos que juntou dezenas de apicultores de todo o país e que visou partilhar experiências e divulgar novas técnicas de maneio profissional de colónias produtivas. 

Escrito por rádio Terra Quente (CIR)

Sem comentários: