quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Município de Vila Flor sobe 254 posições no ranking de transparência municipal

O Município liderado por Berta Nunes manteve a posição conquistada, em 2013 e 2014, mas pela primeira vez regista a pontuação máxima. O segundo melhor município do distrito, é Bragança, que aparece no lugar 46, registando uma subida de 76 lugares, relativamente a 2015, quando estava na posição 106.
Vila Flor passa a ser o terceiro lugar do distrito, quando em 2015 era mesmo o pior do distrito, no lugar 305. Agora foi mesmo aquele que mais subiu neste ranking. Passou para o número 51, uma subida considerável de 254 posições.
Segue-se Macedo de Cavaleiros, na posição 57, também com uma acentuada subida na tabela, dado que, em 2015, estava apenas no lugar 163.
O quinto município do distrito de Bragança, é o de Miranda do Douro, no lugar 60, ainda assim desceu quatro posições. Segue-se Vimioso, no lugar 70, protagonizando uma das maiores subidas, já que estava no lugar 212., em 2015.
Só depois aparece o município de Mirandela que teve um trambolhão na tabela. Em 2015, era o segundo melhor do distrito, passou agora para sétimo. A nível nacional, estava no 16º lugar do ranking, agora está no lugar 83, descendo 67 posições.
A partir daqui aparecem os restantes cinco municípios do distrito que já têm uma nota negativa, inferior a 50 pontos.
Vinhais está no lugar 147. Mogadouro na posição 255. Carrazeda de Ansiães no 264. Torre de Moncorvo, na posição 290 e Freixo de Espada à Cinta é mesmo o último posicionado do distrito de Bragança no lugar 303, ou seja o sexto pior do país.
Pelo quarto ano consecutivo, a Transparência e Integridade, Associação Cívica, avaliou a informação disponibilizada pelas câmaras nos seus sites.
As pontuações, entre zero e 100 pontos, resultam de uma avaliação da informação que é disponibilizada pelas 308 câmaras municipais do país, de acordo com 76 indicadores, agrupados em sete dimensões: informação sobre a organização, composição social e funcionamento do município; planos e relatórios; impostos, taxas, tarifas, preços e regulamentos; relação com a sociedade; contratação pública; transparência económico-financeira; transparência na área do urbanismo.

Escrito por Terra Quente (CIR)

Sem comentários: