quinta-feira, 30 de março de 2017

José Freire de Matos Mergulhão

Capitão de infantaria, natural de Moimenta da Beira, distrito de Viseu, mas bragançano, por aqui constituir família e ser como oficial de caçadores nº 3, da guarnição de Bragança, que publicou relatos das campanhas da África (Gungunhana) em 1895, nas quais tomou parte como alferes do dito batalhão. Nasceu a 27 de Julho de 1868 e casou a 15 de Junho de 1891 com D. Adélia Amália Leopoldina de Sá Miranda, natural de Carrapatas, concelho de Macedo de Cavaleiros. Fez os estudos preparatórios em Viseu e concluiu o curso na Escola do Exército em 1890. Alferes em 31 de Dezembro de 1891; tenente em 30 de Maio de 1897 e capitão em 10 de Agosto de 1903.

Escreveu: Apontamentos para a história da campanha à África – Prefaciados por Cristóvão Aires, lente da Escola do Exército, deputado da nação, jornalista. Bragança, Tip. Brigantina, Praça da Sé, 1896. 8.º de VIII-295 págs.
Na expedição a Moçambique (Gungunhana) em 1895 foi condecorado com o grau de cavaleiro da Torre e Espada e medalha de prata de valor militar.
Tem o grau de cavaleiro de S. Tiago do mérito científico, literário e artístico; a medalha de prata de comportamento exemplar; a medalha de prata Rainha D. Amélia e a cruz de 1.ª classe de mérito militar espanhol. Exerceu ali por aquela ocasião os lugares de delegado do procurador da coroa em Gaza e o de chefe da secretaria militar do distrito de Gaza, sendo louvado em ordem do governo pelo zelo e competência que mostrou no desempenho destes cargos.
José Freire Mergulhão tem colaborado em várias publicações periódicas do Porto e de Lisboa, principalmente quando esteve em África.

Memórias Arqueológico-Históricas do Distrito de Bragança

Sem comentários: