sexta-feira, 31 de março de 2017

José Maria de Morais da Mesquita

Casa de Selores - Zedes
Doutor em direito pela Universidade de Coimbra, senhor da nobre casa das Selores, na freguesia de Zedes, e presidente da Câmara Municipal de Ansiães.
Faleceu em Zedes em Dezembro de 1896, segundo nos disse em 1924 seu genro doutor Jerónimo Barbosa de Abreu e Lima.

Escreveu: Memórias etimológicas e históricas do concelho de Ansiães – Oferecidas a sua majestade o Senhor D. Pedro Quinto. Tip. Comercial Portuense, 1857. 8.º de 16 págs. (Nestas Memórias, o autor acrescenta ao nome o apelido de Meneses).

Luís António de Morais da Mesquita Meneses e sua mulher D. Isabel Maria de Sá Lemos, de Zedes, concelho de Carrazeda de Ansiães, venderam em 1857 umas casas em Bragança, na rua dos Oleiros, a D. Maria Eduarda Ferreira de Lima e um casal em Gimonde e uma quinta em Alfaião a Henrique José Ferreira de Lima. Pelos vendedores, serviu de procurador seu irmão e cunhado doutor José Maria de Morais da Mesquita Meneses. A escritura, que se encontra no Museu Regional de Bragança, «Cartório Notarial», livro 26, diz que estas propriedades eram da casa dos Cortiços, isto é, da família Lemos, dos Cortiços, de onde a vendedora era oriunda.
Em 1854 pediram dispensa para casar de 1.º e 2.º graus, e 2.º e 3.º de sanguinidade: José Maria, de dezoito anos, órfão, natural dos Cortiços, filho de João Marcelino de Sá Lemos e de D.Mariana Josefa de Morais de Mesquita Meneses, e D.Maria Eugénia, de vinte e cinco anos, natural de Zedes, tia do impetrante José Maria e filha de Luís Manuel de Morais de Mesquita Meneses.
Igual dispensa pediram na mesma data de idênticos impedimentos: Luís António de Morais de Mesquita Meneses, de Zedes, e D. Isabel Maria, filha dos ditos João Marcelino de Sá Lemos e de D.Mariana Josefa de Morais de Mesquita Meneses, de treze anos, órfã, natural dos Cortiços, sobrinha do impetrante Luís António de Morais de Mesquita Meneses.

Memórias Arqueológico-Históricas do Distrito de Bragança

Sem comentários: