quarta-feira, 29 de março de 2017

Mirandela pode vir a ter nova superfície comercial mas classe política local contesta

Mirandela poderá vir a ter mais uma grande superfície comercial. Já há alguns meses que deu entrada na câmara municipal, o pedido de instalação e licenciamento da cadeia de hipermercados “Continente”, em terrenos situados à saída de Mirandela para Vila Flor.
A notícia é confirmada pelo presidente da autarquia, mas António Branco garante que "não está tomada qualquer decisão, até porque foi pedido um parecer à ACIM - Associação Comercial e Industrial de Mirandela - para se pronunciar sobre esta possibilidade", garante o autarca.

O Presidente da ACIM, Jorge Morais, diz que é um assunto que ainda não foi analisado, mas espera, em breve, marcar uma assembleia-geral, "para auscultar a opinião dos comerciantes", apesar de lembrar que o parecer "não é vinculativo".

Esta possibilidade de instalação, em Mirandela, de uma nova grande superfície comercial, é contestada pela classe política. As concelhias entendem que as actuais três superfícies comerciais de média e grande dimensão, como são o Pingo Doce, o Intermarché e o LIDL, são suficientes, receando que uma nova unidade possa traduzir-se "na machadada final" para o comércio tradicional.

A líder da concelhia do CDS/PP, Sandra Grilo, diz que "já chegam as grandes superfícies comerciais que existem".

O vice-presidente do PS, Alexandre Pacheco, deixa entender que a abertura do Continente "pode significar a morte do comércio tradicional e muito prejudicial para as restantes grandes superfícies".

Já Jorge Humberto, do PCP, é "frontalmente contra" a abertura do continente, em Mirandela, porque "vem criar emprego precário e não vem trazer qualquer benefício económico para o concelho".

Também Rui Sá, da concelhia do PSD, diz ser contra a instalação de uma nova grande superfície comercial, mas admite que o Município "pouco ou nada poderá fazer para travar este processo se ele cumprir todos os procedimentos legais". Rui Sá admite que seria favorável à instalação no caso daquele grupo "vir a ser obrigado a estar na fileira da produção local".

As opiniões mais ou menos consensuais dos representantes dos quatro partidos políticos com assento na Assembleia Municipal de Mirandela, , que torcem o nariz à possibilidade de abertura de mais uma grande superfície comercial na cidade. 

Escrito por Terra Quente (CIR)

Sem comentários: