quinta-feira, 23 de março de 2017

População do Nordeste Transmontano exige reorganização dos serviços do IEFP

Debate das Mulheres Socialistas em Carrazeda de Ansiães aqueceu, com o Secretário de Estado do Emprego a ser bombardeado com esta questão.
Aquilo que deveria ser uma sessão de homenagem às mulheres transmontanas acabou por se transformar numa sessão de reivindicação de melhores condições para os Centros de Formação do Instituto de Emprego e Formação Profissional do distrito de Bragança e, acima de tudo, uma reorganização geográfica dos serviços que obriga muitos utentes do sul do distrito, desempregados, a terem de saltar entre Bragança, Mirandela e Vila Real para tratarem de coisas simples.
Aproveitando a presença de Miguel Cabrita, Secretário de Estado do Emprego, foi confrontado, em Carrazeda de Ansiães, com estas questões pela população e jornalistas, e prometeu analisá-las, apesar de não se comprometer com uma data para acabar com as injustiças.
Em causa está o facto de, por exemplo, os Centros de Emprego de Moncorvo ou Freixo de Espada à Cinta, estarem na dependência de Vila Real, o que obriga os utentes a terem de ir ao distrito vizinho a um serviço, dirigindo-se, depois, a Bragança para, pelo mesmo caso, tratarem do assunto na Segurança Social. “É uma situação que está sinalizada há bastante tempo. É o resultado da reorganização dos serviços em 2012”, explicou Miguel Cabrita. “É uma situação que está identificada e quando houver um momento de reorganização será ponderada. Temos noção que tem causado constrangimentos ao trabalho dos profissionais e também aos utentes que, muitas vezes, para valências diferentes têm de se deslocar nuns casos para Bragança e noutros para Vila Real. 
É negativo que haja mapas diferentes em diferentes serviços públicos. Não é caso único infelizmente no país”, sublinhou.
Por outro lado, prometeu a realização de obras nas instalações distritais e oficinas ainda este ano. “Sim, o que está previsto é que venham a existir. Houve algum período de contração ao nível do investimento na infraestrutura, quer em termo de obras físicas quer em termos de equipamentos que é importante que haja. 
É muito importante que os serviços quer de emprego quer de formação tenham instalações adequadas e os materiais atualizados. Aquilo que estamos a fazer é tentar reforçar a componente de investimento nestas áreas”, explicou, adiantando que estão previstos “cem mil euros” para uma primeira intervenção, “mais ligeira”, avançando outra mais consistente um pouco mais tarde.
Declarações à margem de um debate promovido pela Federação Distrital das Mulheres Socialistas de Bragança, que pretendeu, também, homenagear alguns exemplos do concelho de Carrazeda de Ansiães, nomeadamente duas empreendedoras e cinco bombeiras.

AGR
in:mdb.pt

Sem comentários: