sexta-feira, 28 de abril de 2017

Conselhos Raianos integram-se nos laboratórios de participação Pública para discutir acessibilidades e coesão territorial

Amanhã inicia-se uma nova ronda dos conselhos raianos. À associação cívica Rionor aliaram-se o Instituto Politécnico de Bragança e o Centro de Ciência Viva, já que as sessões serão incluídas na iniciativa do Ministério do Ensino Superior: Laboratórios de Participação Pública.
Os conselhos raianos discutem este ano os problemas da região fronteiriça centrado nos temas das acessibilidades e da coesão territorial.

Francisco Alves, o presidente da associação Rionor, espera que ao longo dos próximos seis conselhos raianos, que se terão lugar em Portugal e Espanha, sejam discutidas as oportunidades de desenvolvimento da região e a ferrovia será um dos assuntos centrais.

“A estação do AVE em Otero de Sanabria vai ser construída, mas só vão parar lá os comboios se Bragança estiver associada e é preciso uma ligação até lá, como vai ser é o que vamos discutir”, refere.

O presidente do IPB, Sobrinho Teixeira, explicou que o apoio da instituição de ensino à iniciativa acontece porque ela se enquadra no modo de funcionamento dos laboratórios de participação pública.

“Se houver mais pessoas para além do próprio IPB, Centro Ciência Viva e da CIM, que estejam disponíveis para intervir, isso vai ao encontro da filosofia do laboratórios de participação pública, que é pôr as pessoas a participar e a dar-nos ideias sobre temas que acham importantes e que nós propomos, dando-nos ideias sobre como se pode de facto fazer com que a nossa região fique melhor”, sustentou Sobrinho Teixeira.

Amanhã à tarde realiza-se o primeiro conselho raiano em Bragança, na Domus Municipalis. Até 25 de Novembro a iniciativa vai ainda passar por Puebla de Sanabria, Torre de Moncorvo, Alcañices, Alfândega da Fé e Vila Flor. 

Escrito por Brigantia
Olga Telo Cordeiro

Sem comentários: