terça-feira, 18 de abril de 2017

Ligação Bragança-Portimão da Aero Vip interrompida

A ligação aérea Bragança-Portimão da Aero Vip esteve interrompida durante toda a tarde de ontem devido à proibição de reabastecimento de combustível no aeródromo de Tires, na sequência do acidente que provocou cinco mortos, disse fonte da companhia.
Cinco pessoas morreram após a queda de uma aeronave com matrícula suíça em Tires, no concelho de Cascais, junto ao parque de descargas de um supermercado.

A aeronave descolou do aeródromo de Tires pelas 12:00, tendo-se despenhado cerca de dois mil metros depois da descolagem, provocando a morte dos quatro ocupantes e de uma pessoa que se encontrava no parque de descargas do supermercado Lidl.

O aeródromo acabou por ser reaberto pelas 14:20, mas as aeronaves que precisaram estiveram impedidas de reabastecer combustível, o que impediu o voo da Aero Vip que fazia a ligação entre Bragança e Portimão, com paragem em Tires, entre outras, de seguir viagem, às 16:30.

“Não houve combustível da parte da tarde, depois do acidente”, disse à Lusa o presidente do conselho de administração da Aero Vip, Pedro Leal, acrescentando que seguiam com destino ao Algarve 18 passageiros.

O responsável explicou que a proibição de reabastecimento é um procedimento normalmente adotado sempre que se verificam acidentes de aviação, designadamente enquanto se procede à análise do combustível.

Os passageiros afetados, acrescentou, foram alojados em hotéis ou seguiram de carro para o seu destino. Os que optaram por ficar no alojamento providenciado pela companhia deverão seguir na terça-feira para Portimão, noutros voos da Aero Vip.

“O avião deve seguir amanhã [terça-feira] de manhã vazio para Bragança, para retomar normalmente a linha [Bragança-Portimão]”, acrescentou Pedro Leal.

Segundo fonte da Proteção Civil, o aparelho que se despenhou dirigia-se para Marselha, em França.

Além das vítimas mortais, há ainda a registar quatro feridos ligeiros, por inalação de fumo, dois dos quais foram assistidos no local e os outros dois transportados para o hospital de Cascais.

A aeronave atingiu ainda uma habitação e um anexo situados junto ao supermercado, tendo os seus habitantes — nove pessoas — ficado desalojados.

“Mas não foi preciso realojá-las porque vão ficar com familiares”, afirmou o comandante municipal da Proteção Civil, Pedro Mendonça.

Fonte da cadeia de supermercados confirmou à Lusa que a aeronave caiu junto dos armazéns da loja de Tires e especificou que não há vítimas entre os funcionários do LIDL.

O supermercado encontrava-se, na altura do acidente, com alguns clientes, mas, segundo André Fernandes, as pessoas saíram do estabelecimento sem problemas de maior, depois de ativados os procedimentos de segurança.

No local esteve o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a acompanhar as operações de socorro, que mobilizaram 93 operacionais e 33 viaturas.

O acidente obrigou ainda ao corte do trânsito na Avenida Amália Rodrigues, em Tires, à montagem de um perímetro de segurança e ao encerramento temporário do aeródromo de Tires, que reabriu às 14:20.

Uma extensa coluna de fumo ergueu-se por entre as casas da zona, com dezenas de pessoas a assistir às operações.

Fonte do setor aeronáutico indicou à Lusa que o aparelho acidentado é um Piper, modelo Cheyenne II, bimotor.

Agência Lusa

Sem comentários: