terça-feira, 11 de abril de 2017

Rede de Património Cultural nasce em Trás-os-Montes

Nasceu uma nova iniciativa intermunicipal que tem como principal objetivo atuar no campo do património cultural, onde a região transmontana possui particulares recursos.
Portal românico da Igreja
de S. Salvador do Castelo de Ansiães - Carrazeda de Ansiães
Chama-se Rede de Património Cultural Transmontano (RPCT) e o seu objetivo é trabalhar o património histórico-cultural enquanto recurso endógeno e de identidade e contribuir para a afirmação e o desenvolvimento de um território considerado de baixa densidade.

A RPCT resulta de uma estratégia de partilha de informação e otimização dos recursos do património cultural regional e é composta, neste momento, pelos municípios de Alfândega da Fé, Carrazeda de Ansiães, Macedo de Cavaleiros, Mirandela e Vila Flor, a que se juntam a Associação de Municípios da Terra Quente Transmontana, a Direção Regional de Cultural do Norte (DRCN) e o Museu do Abade de Baçal.

A rede procura, nesta primeira fase, ações de partilha e “pretende implementar conceitos de gestão e qualificação para a salvaguarda, conhecimento, valorização e divulgação, de forma sustentada, do património histórico/cultural material e imaterial, bem como contribuir para o desenvolvimento dos territórios, estimulando a economia e mobilizando as suas gentes no sentido de gerar valor a nível regional, nacional e internacional”, refere fonte da RPCT.

A apresentação pública vai ser feita em Alfândega da Fé no dia 27 de abril, onde também decorrerá a primeira iniciativa da RPCT centrada na sessão inicial das “Oficinas de Conhecimento em Património Cultural”. Esta iniciativa constitui o primeiro ato visível da rede e a intenção é a de “formar públicos, desde técnicos, Instituições públicas e privadas, ao público em geral, nas várias temáticas patrimoniais, com o objetivo de contribuir para a melhoria das políticas patrimoniais relacionadas com a proteção, inventário, classificação, conservação, intervenção e promoção”.  

Estas oficinas arrancam a 27 de abril de 2017, estendem-se durante todo o ano, e prevê-se que tenham continuidade nos anos seguintes, sendo o local de realização rotativo, nos cinco municípios e no Museu do Abade de Baçal.

A entrada é gratuita a todos que queiram participar, mediante inscrição prévia, através do correio eletrónico geral.amtqt@amtqt.pt ou pelo telefone 278201430.

O primeiro ciclo de oficinas incidirá na “programação e gestão museológica” e será composto por 6 sessões.
in:noticiasdonordeste.pt

Sem comentários: