terça-feira, 18 de abril de 2017

Trás-os-Montes vai invadir Lisboa

O Festival Internacional da Máscara Ibérica (FIMI) vai decorrer pela primeira vez no Jardim da Praça do Império, em Lisboa, de 4 a 7 de maio, e contará com um total de 650 participantes.
O FIMI, na sua 12.ª edição, pretende cruzar “o património histórico e cultural” da cidade de Lisboa “com as tradições ancestrais da Península Ibérica”, através de uma série de iniciativas como desfiles, mostra das regiões, concertos, exposições, tertúlias, entre outras, de acordo com um comunicado da organização.

O primeiro momento do certame decorrerá logo no dia 27 de abril, com a inauguração da exposição “Máscara Ibérica” no Centro Cultural Casapiano, seguida da inauguração da exposição de aguarelas e máscaras “As Máscaras | Maçcaras”, de Manuel Ferreira e Carlos Ferreira, que acontecerá no Museu Nacional de Arqueologia.

No âmbito de Lisboa como Capital Ibero-americana de Cultura, o Brasil, a Colômbia e o Perú são os países convidados do XII Desfile da Máscara Ibérica, que se realiza no dia 6 de maio, a partir das 16h30.

Neste desfile, os Caretos de Salsas e os Caretos de Grijó, de Bragança, as Madamas de Torre de Dona Chama, de Mirandela, e o Brutamontes do Auto de Floripes, de Viana do Castelo, são alguns dos representantes portugueses, que se juntam, pela primeira vez, a grupos de outras localidades, como Coimbra, Ílhavo, Macedo de Cavaleiros, Mira, Miranda do Douro, Mogadouro e Vila Real.

De Espanha, são esperados Los Gigantes y Cabezudos de Aranda de Duero, de Burgos, Los Gigantes de Sant Jordi del Tricentenário, da Catalunha, além de outros grupos das Astúrias, Cáceres, Galiza, Salamanca, León e Guadalajara.

Por seu lado, os países convidados vão apresentar o Boi Bumbá, do Brasil, o Carnaval de Barranquilla, da Colômbia, e a Diablada, do Perú, neste desfile da Máscara Ibérica que acontecerá na Praça do Museu de Marinha e no Jardim da Praça do Império.

Uma outra novidade desta edição é a participação da associação Urban Sketchers Portugal, que ao longo dos quatro dias de festival “irá realizar uma ‘open call’, convidando todos e todas para o registo artístico, através do desenho”.

Considerada “uma das bandas de gaitas mais reconhecidas em todo o mundo”, a Real Banda de Gaitas de Oviedo, das Astúrias, vai marcar presença no FIMI com atuações nos dias 5 e 6 de maio, respetivamente no Centro Cultural de Belém e no Jardim da Praça do Império, às 12h00.

No dia 5 de maio, haverá dois concertos de grupos portugueses: o primeiro será, às 18h30, com a atuação da Orquestra de Foles e o segundo está previsto que aconteça, às 21h30, com o grupo Galandum Galundaina.

Durante o fim de semana, nos dias 6 e 7 de maio, haverá mais concertos no Jardim da Praça do Império com Los Niños de Los Ojos Rojos, de Espanha, que atuarão no dia 6 de maio, às 21h30, no palco ibérico, e o grupo Sons do Douro, de Portugal, no dia 7 de maio, às 17h00.

Paralelamente a estas iniciativas, no Museu Nacional de Arqueologia, na Casa da América Latina e na Casa Pia de Lisboa, têm lugar uma série de outras iniciativas como exposições, debates e atuações de grupos de desfile.

Realizado numa parceria entre a Associação para o Desenvolvimento do Turismo Cultural (PROGESTUR), a Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC) e a Câmara Municipal de Lisboa, o FIMI apresenta-se, desde 2006, como um projeto de dimensão ibérica e internacional.

Agência Lusa

Sem comentários: