quinta-feira, 20 de abril de 2017

Uma “má decisão” porque a Linha do Tua tinha mais para dar

É “uma má decisão” porque a Linha do Tua tinha mais para dar, até em termos turísticos.
Filipe Esperança, o coordenador no Movimento Cívico pela Linha do Tua (MCLT), reage assim à anunciada ecopista, a estender-se entre Mirandela e Bragança, passando por Macedo de Cavaleiros. Considera ainda que é um elevado investimento, que não traz retornos.

Filipe Esperança dá como exemplo a recente ecopista construída na Linha do Sabor, em 2006, no concelho de Torre de Moncorvo, com um custo de cerca de 125 mil euros/km. Um preço que, segundo o MCLT, pode aumentar caso sejam intervencionadas as obras de arte, como pontes e túneis. Como comparação, o coordenador cita a reabilitação da  Linha de la Robla, entre Leon e Bilbao, em Espanha, também de linha estreita, que custou 123 mil euros/km. Ou seja, segundo dados avançados pelo MCLT, a ecopista pode ficar mais cara 2 mil euros mais cara por quilómetro. Filipe Esperança fala ainda de 80 quilómetro de linha a ligar Mirandela a Bragança, e não 67, como avançado inicialmente. Para o representante do movimento, cabe também saber o que acontece ao diferencial.

Filipe Esperança expressa ainda a sua opinião sobre uma possível ligação desta forma a Espanha.

reduzido 3A reação do MCLT à reconversão da Linha do Tua entre Mirandela e Bragança numa ecopista.

Escrito por ONDA LIVRE

Sem comentários: