terça-feira, 25 de abril de 2017

“Zero”, o lado negro de Catarina Broco

Uma história “mais negra” e que chama a atenção para problemas da sociedade.
clica na foto para ouvir a reportagem
É assim que Catarina Broco, jovem escritora de 24 anos descreve o quarto livro, “Zero”, apresentado este fim-de-semana.

A desigualdade, segundo a autora, é uma das muitas problemáticas presentes na obra.

“O livro fala de um rapaz que tem os olhos de cor desigual, ou seja, tem um olho de cada cor, e também de uma rapariga que tem um problema físico como consequência de ter salvo a irmã quando era mais nova.”
Um livro com um objetivo bem definido.

“Para mim, o objetivo deste livro é alertar as pessoas para os cuidados que devem ter com aquilo que dizem e com os julgamentos que fazem, pois as palavras podem ser muito fortes assim como a influência que podem ter.”
A apresentação da obra aconteceu no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Macedo de Cavaleiros.

Um local escolhido com um propósito.

“Das outras vezes as apresentações foram todas no Centro Cultural.

Esta vez, visto tratar-ser de um livro diferente dos outros, resolvi escolher outro local. Além disso, brevemente vai iniciar a época de incêndios e, como tal, quero chamar a atenção das pessoas para estes profissionais.”
Para António Vieira da Silva, da Edições Vieira da Silva, responsável pela publicação das quatro obras da autora, livros como “Zero” são da máxima importância.

“Sem dúvida. E nós temos tentado apoiar todas as iniciativas dentro destas áreas. Da ajuda à autoajuda, temos apoiados também algumas organizações de caráter social.”
Protegida, Protegida II, Fruto Proibido e agora Zero, quatro obras com assinatura de Catarina Broco, a autora que confessou que está já a trabalhar para mais um livro.

Escrito por ONDA LIVRE

Sem comentários: