quinta-feira, 18 de maio de 2017

Mirandelenses queixam-se do mau funcionamento dos transportes urbanos da cidade

Os formandos que frequentam cursos do Instituto de Emprego e Formação Profissional, que estão a decorrer no ninho de empresas, na zona industrial de Mirandela, voltam a contestar o funcionamento dos transportes urbanos, porque dizem ser um serviço insuficiente para fazer face à enorme procura.
Quem não tem transporte próprio, para se deslocar até à zona industrial tem de adquirir um passe que custa 18 euros mensais, para que o IEFP possa posteriormente pagar o subsídio de transporte.
Segundo os queixosos o problema é que, no período da manhã e da hora de almoço, circula apenas um autocarro que chega a meio do percurso e já vai com lotação esgotada e muitos formandos ficam apeados, à espera do próximo autocarro. Para além disso, faz um circuito demasiado longo que inviabiliza a possibilidade dos formandos poderem almoçar em tempo útil.
Como consequência destas situações, os formandos chegam atrasados e têm horas descontadas.
Um abaixo-assinado com cerca de 160 assinaturas de formandos dos cursos do IEFP já deu entrada nos serviços do Município de Mirandela, a solicitar o reforço do transporte urbano no período da manhã e do início da tarde.
Ainda não foi possível obter declarações do presidente da autarquia sobre este assunto. 

Escrito por Terra Quente  (CIR)/ Foto: Panorâmio

Sem comentários: