quarta-feira, 14 de junho de 2017

Bragança apostada em atrair turistas com Festival de arte urbana

A cidade de Bragança acolhe, de 23 a 25 de junho, vários artistas nacionais e internacionais no II Festival de Street Art, que aposta na chamada arte urbana para valorizar algumas zonas e atrair turismo, foi hoje divulgado.
A iniciativa é da câmara municipal que, pelo segundo ano, promete deixar "Bragança ainda mais colorida", com os trabalhos em fachadas e espaços públicos de 11 artistas nacionais e internacionais.

O presidente da câmara, Hernâni Dias, apontou hoje, na apresentação do evento, que o propósito é envolver a comunidade local e atrair novos turistas ligados ao conceito de arte urbana, com o chamariz também da gastronomia num festival, que decorre em simultâneo, de pratos típicos regionais e da Francesinha.

Ao todo serão 20 restaurantes aderentes neste festival gastronómico que é a novidade do Street Art e que aposta na Francesinha, prato típico do Porto, por estar "mais ligada aos jovens, é um prato económico e que também se serve muito em Bragança", segundo o autarca.

"Bragança Uma Cidade de TODOS e para TODOS" é o tema desta segunda edição do Sm'arte -- II Festival de Street Art de Bragança que "reúne artistas, grupos de jovens e utentes de instituições locais com o objetivo comum de dar mais cor à cidade de Bragança".

A comunidade local, nomeadamente as escolas, foram convidadas para participarem no desafio de "dar nova vida, através da arte, a espaços públicos, como empenas de prédios do Bairro Social da Mãe d' Água, muro do Centro Ciência Viva e ponte pedonal do Forte São João de Deus, entre outros".

Entre os artistas nacionais e internacionais que vão protagonizar estas transformações estão nomes como Draw, Bruno Santinho, Daniel Eime, Leon Keer, Lucky Hell, Contra, GLAM, MAR, The Caver, Trip Dtos e Duarte Saraiva.

"Transformar Bragança numa referência nacional na reabilitação urbana, através do conceito de Street Art, estimular a participação e criatividade dos artistas em diferentes artes, melhorar a imagem da cidade, requalificar o espaço público e atrair novos turistas ligados ao conceito de arte urbana de rua são os objetivos desta iniciativa", como vincou o município.

O festival tem também uma "perspetiva de reabilitação urbana" com o propósito de "dar mais atratividade a algumas zonas mais degradadas", como bairros sociais.

O presidente da câmara avançou com "a possibilidade de criar um roteiro com os locais onde existe arte urbana" que "vai permitir que mais pessoas possam ir lá visitar" e "transformar Bragança numa referência nacional e até internacional no conceito de arte urbana".

Em várias zonas da cidade são visíveis obras da primeira edição do festival e de outras iniciativas que envolveram arte de rua.

O autarca local está convencido de que "as pessoas gostam do que veem".

"A verdade é que tem havido muito respeito pelos trabalhos que têm sido feitos nos mais diversos locais e prova disso é que nunca foram danificados, nem vandalizados", sublinhou.

Agência Lusa

Sem comentários: