quinta-feira, 29 de junho de 2017

Concentração motard cobre mirandelenses de orgulho

Com 91 moto-clubes a marcarem presença em Mirandela e num ano em que a autarquia duplicou o apoio financeiro à organização, a concentração motard ganha um outro estatuto de ano para ano competindo com o que de melhor se faz no país e no estrangeiro.
Provavelmente, a Concentração Motard de Mirandela teve, esta 21ª edição, menos gente do que o ano transato. Não só porque, em 2016, se comemoraram os 20 anos, um número sempre redondo e bastante significativo por aquilo que representa, mas, sobretudo, porque houve dois grandes eventos que ocorreram em simultâneo, bem próximos da Cidade do Tua. Um foi o S. Pedro em Macedo de Cavaleiros com o concerto do artista angolano bem conhecido do grande público, Anselmo Ralph, e o outro foram as corridas do WTCC em Vila Real. Ambos atraíram até si milhares de pessoas. Não obstante, não faltou gente em Mirandela. Bem pelo contrário. O que só prova que, apesar da concorrência, a concentração está perfeitamente bem de saúde e recomenda-se. Tanto assim que marcarem presença na XXI Concentração Motard 91 Moto Clubes nacionais e estrangeiros, havendo mesmo quem tivesse feito mais de três mil quilómetros para marcar comparência nesta que já é uma bandeira mirandelense de crescimento e atratividade. Um facto provado perante as mais de 10 mil pessoas que saíram à rua para admirar o espetáculo das duas rodas enquanto estas faziam ronronar os seus motores e desfilavam beleza no passeio noctívago pela cidade.

Quer à tarde, quer à noite, o stuntman Paulo Martinho foi, sem dúvida, o “entertainer” de serviço. “Aquela máquina”, o título que o speaker fez tantas vezes questão de referir foi mais que merecido, pois o espetáculo que ele encenou foi o de um autêntico mestre de acrobacias, seduzindo crentes e não crentes do alto do seu freestyle com os seus cinco veículos e reunindo ao seu redor milhares de pessoas fascinadas pela sua performance em pista e aturdidas pelos elevados decibéis dos rateres que, por vezes, fizeram famílias com crianças mais pequenas, nomeadamente, bebés, recuarem um pouco.

Para quem conhece este jovem sagaz que faz dos shows de stunt riding um modo de vida, Paulo Martinho não surpreendeu na acrobática tarefa de invocar até si adrenalina suficiente capaz de agitar todo o espaço envolvente ao Parque da Cocheira. E foi, simplesmente, igual a si próprio. Um “one man show” ou, se preferirem, um verdadeiro circo ambulante para os entusiastas das duas rodas que nunca saem de um espetáculo seu com as expetativas defraudadas

Depois do jantar que, confesso, não agradou a todos os motards, a cidade entregou-se de corpo e alma ao passeio noturno, num clima de convívio sim, mas de festa brava também, que semeou a loucura entre os milhares de residentes espalhados pelas principais artérias mirandelenses… E poucos houve que se entregaram à pobreza de espírito de permanecerem em casa. Foi um autêntico privilégio participar no passeio por entre a população, enquanto esta vibrava tanto como o barulho de mil e um motores. O colorido extra flamejante veio com o fogo de artifício, que iluminou os céus e se espelhou no rio como um espetáculo artístico ao longo do passeio noctívago.

Concentração Motard destaca-se, cada vez mais, como uma das melhores de Portugal

Seguiu-se o momento institucional da noite, em que as principais entidades foram homenageadas, entre as quais, a PSP, os Bombeiros e a autarquia, bem como os 91 moto clubes presentes e como, de resto, não poderia deixar de ser, Tó Velho, o antigo presidente do Moto clube de S. Mamede de Infesta que acompanha esta concentração desde o seu nascimento. Já com o recinto bem preenchido, teve início aquele que é considerado como um dos pontos altos da concentração motard, o Bikeshow, já no seu terceiro ano e, notoriamente, a crescer de edição para edição, satisfazendo as delícias dos amantes das duas rodas.

Após o desfile e da entrega dos respetivos prémios, veio o tão ansiado strip feminino e masculino, que deixou os olhos em bico e água na boca à numerosa assistência, que por ali ia desfrutando de bailarinas exóticas em trajes menores. Com o muito público já a queimar pneu, entusiasmado pelo strip, a banda Ena Pá 2000 tomou as rédeas do espetáculo com os seus êxitos a fazerem recordar velhos tempos perante uma vasta multidão que não conseguiu resistir ao apelo da concentração. Mais um show erótico Joinus e corpos nús e semi-nús das strippers e do bailarino que foram tirando a pouca roupa que traziam consigo ao som de temas dançáveis previamente escolhidos. A noite só terminou por volta das 5 horas, estando o encerramento a cargo do grupo de metal Fullsteam.    

No domingo, a festa familiar, o entusiasmo geral e o convívio salutar que tiveram lugar em Mirandela ao longo de três dias, de 23 a 25 de junho, terminaram com a habitual despedida nostálgica dos motards. Mirandela continua a cumprir, assim, a tradição de representar o Norte com dignidade, respeito e lealdade no Universo Motard, sendo, para todos os efeitos, a concentração mais elogiada pelas ótimas condições que proporciona aos que nela têm a oportunidade de participar.

“Uma concentração de topo”, “memorável”, “o ambiente é demais”, “uma das melhores concentrações a nível nacional”, “fantástica”, “o que me atrai é o convívio, o saber acolher das pessoas”, “tem óptimas condições”, “cinco estrelas”, “vou voltar aqui e cá estarei para sempre” e “nunca pensei que Mirandela fosse assim tão espetacular” foram só algumas das opiniões mais comuns que o Diário de Trás-os-Montes ouviu da boca de dezenas de motards locais, nacionais e estrangeiros.

Bruno Mateus Filena
in:diariodetrasosmontes.com

Sem comentários: