sexta-feira, 30 de junho de 2017

Daniel José Rodrigues e David Augusto Rodrigues (irmãos)

Diplomado com o Curso Superior do Comércio pelo Instituto Industrial e Comercial do Porto. Natural de Varge, anexa da freguesia de Aveleda, concelho de Bragança, nasceu a 1 de Maio de 1877; filho de Martinho José Rodrigues, natural de Varge, e de D. Ermelinda Carlota, natural de Gimonde. Em 1898 (?) foi nomeado professor interino do liceu de Bragança, de onde, em 1900, transitou para o do Porto.
Em 1901 fez concurso para as cadeiras liceais, terceiro grupo (inglês e alemão), e ficando aprovado, foi despachado para o Liceu Nacional de Bragança por decreto de 17 de Abril de 1901. Em Janeiro de 1903 foi nomeado sócio do Instituto de Coimbra.
Traduziu do inglês O Vigário de Wakefield, de Olivier Goldsmith. Lisboa, Guimarães & C.ª, 1904. 8.º de VIII-231 págs. O prólogo, que vem à frente da obra e ocupa VIII págs., é obra do tradutor.
Romanças (complemento ao Romanceiro). Separata do Instituto, Coimbra, Imp. da Universidade, 1907. 4.º de 19 págs. É uma colecção de sete romanças coligidas na região bragançana, acompanhada de comentários.
A notável folclorista D. Carolina Michaëlis de Vasconcelos, em os seus Estudos sobre o romanceiro Peninsular, 1907-1909, págs. 7 e 9, e outros, refere-se elogiosamente às Romanças, «que a meu ver [dela] se compõem de decalcos bastante fieis, embora abreviados, de textos asturianos, talvez de introdução recente».
O Ensino da gramática nas línguas vivas (separata do Instituto), vol. LVI. Coimbra, 1909. 8.º de 14 págs.
O Rio d’Onorense (Dialecto trasmontano). Separata do Instituto, volume LV. Coimbra, 1909. 8.º de 22 págs.
Tem em preparação Lendas alemãs e lendas portuguesas, e tem colaborado em O Nordeste, Distrito de Bragança, Ilustração Trasmontana e Instituto de Coimbra.
A propósito deste nosso ilustre conterrâneo, diz o grande sábio José Leite de Vasconcelos, que ele é «autor de alguns trabalhos etnográficos ácêrca da província, e a quem, se não esmorecer, está reservada proveitosa colheita scientífica, tanto porque o solo é extremamente fecundo, e ainda em grande parte inexplorado, como porque o senhor Rodrigues é rico e moço, e sabe muito bem inglês e alemão, e pode adquirir e ler boas obras estrangeiras que o fortifiquem nas investigações e lhe alarguem o âmbito das mesmas».

RODRIGUES (David Augusto) – Coronel de infantaria, irmão do anterior Rodrigues; nasceu em Varge a 30 de Janeiro de 1874. Foi deputado pelo círculo de Bragança em 1924.

Escreveu:
O Tiro Nacional, editado pela Revista de Infantaria, 1902. Vila Nova de Famalicão, 8.º de 17-190 págs. É uma pugna pelo tiro nacional, visando mostrar a sua importância, serviços que pode prestar e maneira de o fomentar. É um trabalho altamente patriótico, bastante importante, indispensável mesmo aos que se propuserem fomentar uma instituição útil a todas as nações e muito principalmente às pequenas. A renhida luta que o povo bóer sustentou contra os ingleses, infligindo-lhes derrotas monumentais, foi que levou o autor a empreender este estudo, do qual já se havia ocupado em diversos artigos da Revista de Infantaria.
Revista de Infantaria fundada por José Sarsfield, major de infantaria, David Augusto Rodrigues e Alfredo de Leão Pimentel, tenentes de infantaria. Lisboa, 1905.
A táctica de hoje. Tradução do inglês, prefaciada e anotada. Lisboa, 1903. 8.º de XXI-142 págs.
A Ocupação de Moçambique (1869-1909). Lisboa, 1910. 8.º de XXI-153 págs.

Memórias Arqueológico-Históricas do Distrito de Bragança

Sem comentários: