quinta-feira, 6 de julho de 2017

Burocracias atrasam a circulação do comboio turístico do Tua

A EDP, concessionária da barragem do Tua, entregou 10 milhões de euros à empresa Douro Azul para reabilitar e explorar turisticamente os cerca de 30 quilómetros que restam de linha do Tua, entre a Brunheda e Mirandela, e a nova albufeira.
O barco já chegou e o comboio já foi restaurado. Todavia, ainda não há um entendimento sobre quem deverá ficar responsável pela segurança e manutenção das infra-estruturas da linha do Tua.
O projecto de mobilidade deveria arrancar até ao final deste mês, e apesar de estar praticamente tudo pronto a nível logístico, segundo o presidente da Agência de Desenvolvimento do Vale do Tua, Fernando Barros, faltam as últimas licenças e a atribuição da responsabilidade no que diz respeito à manutenção dos túneis, viadutos e taludes. “Faltam-nos as licenças, as certificações, as homologações de todo o equipamento e trabalho. Há uma questão, é preciso definir quem é responsável pelas obras, é neste aspecto que estamos a trabalhar para tomar essa decisão”, esclarece.
O responsável considera que considera que, visto que o proprietário continua a ser o estado, deve ser a empresa Infraestruturas de Portugal a assumir esse encargo.
Fernando Barros frisa que estão a decorrer negociações com o Governo e espera que se chegue rapidamente a uma solução para que não seja colocado em causa todo o investimento que já foi feito no projecto.
O plano de mobilidade do vale do Tua é a medida de compensação mais emblemática pela construção da Barragem. 

Escrito por Brigantia// Foto: comboios transmontanos 

Sem comentários: