segunda-feira, 17 de julho de 2017

Capitão de Abril faz doutoramento aos 85 anos

Pezarat Correia defende, na Universidade de Coimbra, tese sobre a descolonização “do ponto de vista do colonizado”
“... Descolonização: do proto-nacionalismo ao pós-colonialismo”. É este o título da tese de mais de 500 páginas que Pedro Pezarat Correia vai, na quarta-feira, apresentar para completar o doutoramento em Relações Internacionais pela Universidade de Coimbra. Aos 85 anos, o capitão de Abril não arrumou as armas. “Sou incorrigível. Devia estar descansadinho e resolvi meter-me nesta aventura”, disse ao Expresso.

Três anos de trabalho para redigir a tese, mas acima de tudo “um percurso completo de vida” que passou por uma carreira militar e duas comissões em Angola. Foi, aliás, a partir de Luanda que Pezarat Correia participou no plano de operações do 25 de Abril. Foi lá que dirigiu como representante do MFA o processo que levou à independência do país.

A experiência militar na ex-colónia serve de base para o ‘estudo de caso’ que fundamenta a tese. A descolonização angolana é apresentada como um exemplo paradigmático da forma como Portugal conduziu o processo de independência dos territórios ultramarinos, mas a principal novidade é a intenção do autor de se colocar “do ponto de vista do colonizado, que é o verdadeiro protagonista de todos os processos de descolonização, desde a luta pela libertação à independência, e até mesmo em todas as contradições que advêm da construção e afirmação dos novos países”, diz Pezarat Correia.

O orientador da tese do antigo capitão de Abril é o deputado bloquista e professor universitário José Manuel Pureza, que confessa a sua “enorme satisfação pessoal” por ter acompanhado este trabalho, mas se recusa a fazer mais comentários antes da prestação desta prova académica. A defesa do doutoramento será feita na próxima semana e entre os convidados para assistir à cerimónia contam-se vários ex-militares ligados ao 25 de Abril. Entre eles está António Ramalho Eanes que, também em 2006, completou o doutoramento, mas na Universidade de Navarra. O antigo Presidente da República tinha 71 anos e defendeu uma tese sobre “Sociedade Civil e Poder Político em Portugal”.

Sem comentários: