quarta-feira, 12 de julho de 2017

Miguel de Melo Vaz de Sampaio

Natural de Ribalonga (?), concelho de Carrazeda de Ansiães. Antigo oficial da armada real portuguesa, cavaleiro das ordens da Torre e Espada e de S. Bento de Avis, condecorado com as medalhas militares de prata de comportamento exemplar e da rainha D. Amélia, comemorativa das campanhas de África, com as legendas «Namarrais» e «Camboemba».
Assentou praça na Escola Naval em 1889; foi promovido a guarda-marinha em 1892, a 2.º tenente em 1895 e a 1.º em 1902, tendo sido comandante da Escola de Alunos Marinheiros – corveta «Estefânia» – surta no rio Douro,Massarelos, Porto.
Em 1910, com a proclamação da República, abandonou a carreira militar e foi para o estrangeiro, de onde só regressou em 1914.
É filho de Manuel de Melo Vaz de Sampaio, senhor das casas de Ribalonga e de Espinhosa, em Trás-os-Montes, e de D. Inês Cândida Vaz Guedes Pereira Pinto Bacelar, senhora da casa de Vilar de Ossos, concelho de Vinhais, filha dos terceiros viscondes de Montalegre.
Casou duas vezes: a primeira, em 1900 com sua prima D.Maria dos Prazeres da Silva da Fonseca de Meneses Cirne, e a segunda em 1910 com sua cunhada D.Maria Henriqueta, ambas filhas de Pedro da Silva da Fonseca de Cerveira Leite e Bourbon, senhor da casa de Ramalde, no Porto, e de D.Mariana Augusta da Silva Freitas de Meneses de Sousa Cirne, senhora da casa da Fábrica, da mesma cidade. Tem uma filha do primeiro casamento.

Escreveu: Tentativas genealógicas ou Esboço dum nobiliário da família Melo e Sampaio, das casas de Ribalonga e Espinhosa, e seus parentes. 1899-1900. Manuscrito, fólio de I-XII-273 págs., com o brasão de Sampaio e Melo e árvore de costado dos actuais representantes da família do autor.
Trata das famílias: Almeida, Araújo, Azevedo, Bacelar, Baía, Bourbon, Brito, Cirne, Carvalho, Cerveira, Chaves, Barroso, Gama, Guedes, Leite Pereira, Lemos, Magalhães, Madureira, Melo, Morais, Meneses, Noronha, Pinto, Pimentel, Portugal, Pereira de Penedono, Pereira, Rebelo de Sousa, Sampaio, Silva da Fonseca, Sotomaior, Sá de Albergaria, Silva, Teixeira, Távora, Vasconcelos e Vanzeler.
Guerra Peninsular – 1.º Visconde de Montalegre – Um documento histórico importante. Artigo publicado no jornal de Lisboa Portugal em 1910, sem nome de autor.

Memórias Arqueológico-Históricas do Distrito de Bragança

Sem comentários: