terça-feira, 4 de julho de 2017

Multiplicam-se as candidaturas das festas dos caretos do nordeste transmontano a Património da Humanidade

Em Torre de Dona Chama, no concelho de Mirandela, iniciou-se a candidatura da “Festa dos Caretos dos Rapazes e de Santo Estêvão” a Património Imaterial da Humanidade, começando pela inscrição no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial.
A candidatura vai ser apresentada pela Associação Dona Flâmula e conta com o apoio da junta de freguesia e da Câmara Municipal de Mirandela.
O presidente da junta de freguesia, Fernando Mesquita, espera que a promoção do património freguesia possa potenciar o turismo e o desenvolvimento local. “Queremos que seja conhecido e visto por muita gente e que o turismo desta região, que deve ser o futuro, possa ajudar a desenvolver a localidade e a manter os jovens”, sustentou.
Para o presidente da Associação Dona Flâmula, António Reimão, a festa dos rapazes na Torre é aquela que reúne mais elementos característicos na mesma celebração em todo o Nordeste Transmontano. “Temos aqui a fogueira, nalguns sítios fica-se por aí, mas na Torre é só o começo, há o deitar os jogos à praça, que é a sátira social, mas não é só isso, há os caretos, mas o que distingue a festa dos caretos é a luta entre cristãos e mouros, a nível nacional há poucas manifestações dessas”, explica.
O presidente do Município de Mirandela, António Branco critica a falta de união nesta matéria já que defende que deveria existir uma candidatura conjunta da região. “Neste momento, corre-se o risco de haver na região não uma mas várias candidaturas e julgo que não faz sentido. Devia existir uma candidatura da região, eventualmente até transfronteiriça, e penso que se fizéssemos isso em conjunto teríamos muito mais força”, argumentou. Para António Branco, corre-se o risco de desta forma “um destes projectos ser rejeitado e os outros ficarem dentro”.
Parte do financiamento para este processo de candidatura provém do programa “EDP Tradições”, que contemplou este projecto. O anúncio da candidatura da “Festa dos caretos de Torre Dona Chama” aconteceu este domingo no 28.º aniversário de elevação a vila e no dia em que se comemorou os 730 anos da atribuição do primeiro foral de D. Dinis à vila.
Quanto à candidatura dos Caretos de Podence à mesma distinção, vai ficar em modo de “espera” até 2018.
O formulário tinha sido submetido, como noticiado, em Março, e o resultado haveria de ser conhecido no próximo ano. Mas a Comissão Nacional da UNESCO pediu que se aprofundassem alguns aspectos, até fruto do pouco tempo que houve para preparar todo o processo.
“Temos que continuar a trabalhar na candidatura. A Comissão Nacional da UNESCO escreveu-nos, até como trabalhámos em cima dos prazos e com pouco tempo, a dizer que teríamos que melhorar alguns aspetos para voltamos a submeter a candidatura. Como só há submissões de candidatura uma vez por ano, temos que aguardar até ao próximo mês de março, melhorando. E estamos a trabalhar para isso, para que depois a Comissão Nacional possa levar a candidatura à sede, em Paris”, uma informação confirmada por Duarte Moreno, presidente da Câmara de Macedo de Cavaleiros, que é a entidade promotora desta candidatura.
Duarte Moreno garante que nada muda. E nem mesmo com 2 milhões de euros aprovados para o ZASNET - Agrupamento Europeu de Cooperação Transfronteiriça (na qual o concelho de Macedo de inclui), que terá uma fatia destinada a levar as Máscaras e as Festas de Inverno ibéricas à chancela da UNESCO, faz pensar numa candidatura conjunta. “As Festas de Inverno são uma questão na qual a Meseta Ibérica está a trabalhar. As Festas do Entrudo Chocalheiros e dos Caretos de Podence são outra questão, que depois se insere nas restantes. Estamos a falar de duas realidades, esta que está mais adianta porque nós já fizemos o trabalho de base. Somos Património Imaterial Nacional, e estamos a verificar alguns pormenores para avançarmos. Não estamos à espera de ninguém, nem a Meseta Ibérica está à nossa espera, obviamente. Estão a desenvolver o seu trabalho, e nós o nosso”, salientou.
Fica agora a aguardar-se por 2018 para uma submissão em definitivo da candidatura dos Caretos de Podence a Património Cultural Imaterial da Humanidade.
Os Caretos de Podence figuram, desde Fevereiro deste ano, no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, esse que é o primeiro passo para seguir para a UNESCO. Receberam depois o apoio de entidades como a Assembleia da República, do Eixo Atlântico, e da Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes. 

Escrito por Rádio Brigantia / Onda Livre // Foto: Associação Dona Flâmula

Sem comentários: