segunda-feira, 17 de julho de 2017

Nuclisol de Mirandela convidada para congresso internacional

A Nuclisol Jean Piaget de Mirandela foi selecionada para apresentar casos práticos de inclusão e práticas pedagógicas para o V Congresso Internacional de Educação, Inclusão e Inovação Organizada pela Associação Nacional de Professores de Educação Especial, nos dias 6, 7 e 8 de julho, que decorreu no Auditório da Escola Superior de Comunicação Social e na Escola Superior de Educação em Lisboa.
Este congresso contou com várias personalidades nacionais e internacionais, “que muito têm contribuído para a reforma da Educação e sobretudo para a temática da inclusão”, explicou Beatriz Silva, diretora pedagógica da instituição. Personalidades como David Rodrigues (Presidente da Pró-Inclusão), o juiz conselheiro Álvaro Laborinho Lúcio, Eileen Raymond (Presidente da Division for International Special Education and Services to Council for Exceptional Children), Rodrigo Hubner Mendes (Fundador do Instituto Rodrigo Mendes) ou a Secretária de Estado da Inclusão das pessoas com deficiência, Ana Sofia Antunes, foram alguns dos convidados.

O congresso contou também com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que esteve presente na cerimónia de entrega de medalhas de mérito.
“No cerne do Congresso surgiu o tema da Educação Inclusiva, e no contexto atual é cada vez mais urgente repensarmos a Educação que temos e a que queremos. Vivemos numa sociedade democrática e a educação inclusiva é um direito humano e universal.
Contudo, sentimos que temos que lutar diariamente por esse direito e reconhecemos a falta de orientações facilitadoras deste importante processo”, frisa Beatriz Silva. “Assim, pretendeu-se através das apresentações dos vários oradores desmistificar as noções acerca da inclusão e demonstrar que se podem conseguir alternativas através da disponibilidade para mudar atitudes relativamente à inclusão”, explicou a mesma responsável.
A grande questão é saber “se a escola está pronta para ela?”
“O maior dilema da inclusão com que actualmente nos deparamos prende-se com o facto de se ter feito a passagem para o ensino regular das crianças com NEE, mas não ter sido feito um acompanhamento dessas mudanças ao nível da organização das escolas, nos seus currículos e nas estratégias de ensino e aprendizagem.
Esta falha de mudança organizacional provou ser uma das maiores barreiras à implementação de políticas de educação inclusiva.
A escola de uns tem que ser a escola de outros. Esta tem que ser um espaço de inclusão e não de segregação”, diz Beatriz Silva.
O Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, entende que “o sucesso é aprender o máximo que se for capaz e não aprendermos todos da mesma forma.”
Por outro lado, a responsável mirandelense entende que “a educação deve conviver com a
diferença. É um direito que garante a todos os alunos o acesso à aprendizagem. A escola inclusiva permite oportunidades iguais para todos e diversifica estratégias para cada um. Neste âmbito reforçou-se o papel dos pais enquanto “companheiros de compromisso” dos educadores neste processo, bem como de todos os que intervém no processo educativo.
As educadoras Anabela Duarte e Manuela Libório (na foto) fizeram uma apresentação no congresso sobre Experiências práticas de Inclusão na Nuclisol Jean Piaget de Mirandela e para estas, ficou demonstrado que as escolas necessitam de ser reestruturadas e que a pedagogia precisa de ser desenvolvida de forma a responder positivamente à diversidade de alunos – olhando para as diferenças individuais não como problemas a ser encarados, mas como oportunidades para enriquecer o ensino. Esta instituição tem ao longo dos seus 30 anos de existência em Mirandela, contribuído para a inclusão de crianças. Foi um desses casos que apresentaram, salientando a importância de um trabalho colaborativo entre todos os intervenientes no contexto de aprendizagem e desenvolvimento das crianças. Para a Diretora Pedagógica, Beatriz Silva, “esta experiência
foi bastante gratificante pois uma vez mais se vê reconhecido o trabalho pedagógico que se faz na Nuclisol de Mirandela e que levamos a conhecer num congresso internacional, que contou com a presença de 470 pessoas, de países como o Brasil, Espanha, Cabo Verde, Angola, e Estados Unidos da América”.

Mensageiro de Bragança

Sem comentários: