quarta-feira, 26 de julho de 2017

Número de cavalos na região está a aumentar

O protocolo que unia o Centro Hípico de Grijó e a Cercimac chegou ao fim.
Faltam apoios, nesta área e noutras, como no melhoramento de infraestruturas. Quem o diz é Paulo Ribeiro, treinador do Centro Hípico.

Esse protocolo foi feito e desenvolvido. Correu muito bem. Mas os protocolos têm um início e um fim. Por infelicidade de ambas as partes, porque tínhamos já resultados fantásticos, estes protocolos são curtos e não nos deixam crescer.

No apoio podem estar todas as associação e possam, e o município, seria o número um. O resto viria por arrasto, com alguns projetos. A equitação pode enveredar pelo desporto, lazer, turismo e pela hipoterapia, que tem bons resultados e que estamos a descurar.
Declarações este domingo naquele que foi o VI Encontro Equestre, organizado pela escola Planeta Equestre.

Este evento está enquadrado numa festa que a localidade está a voltar a promover. Iniciámos de manhã com uma procissão a cavalo. À tarde, fizemos uma arruada pelas ruas de Grijó e zonas envolventes. Neste momento estamos a assistir a uma gala equestre, onde se afigura todo o ensino e trabalho que os alunos, proprietários e aficionados têm durante o ano.
E há uma procura crescente destes animais, afirma Jorge Façanha, veterinário e responsável técnico do Centro Hípico.

Não só a nível de cavalos de trabalho, como cavalos de lazer, há uma procura crescente destes animais. Seja para ter aulas, numa atividade lúdica, como também nas zonas rurais onde cada vez mais as pessoas usam estes animais. Estão a voltar ao antigamente, e a usá-los nas atividades agrícolas. Ao contrário do que as pessoas pensam, é uma atividade em crescimento na nossa região.
E alguns factores podem estar a contribuir para isso.

Cada vez mais, não só pelos apoios e pelos subsídios que existem, e até porque recentemente é obrigatório a colocação de um micro-chip, as pessoas têm-se incentivo a ter estes animais.

Esse incentivo levou a que estes animais fossem usados progressivamente nas aldeias e nos meios rurais em atividades agrícolas. Sinto cada vez mais na minha atividade profissional que as pessoas adquirem cavalos.
O Centro Hípico de Grijó alberga neste momento 20 cavalos, e conta com mais de 30 alunos, de vários pontos do distrito e também do distrito de Vila Real.

Este domingo, o dia foi dedicado a estes animais, e terminou com uma gala equestre, que colocou à prova tratadores e cavalos, com coreografias ao som de música.

Escrito por ONDA LIVRE

Sem comentários: