sexta-feira, 14 de julho de 2017

Olivicultor produz azeite extra vigem em pó com ervas aromáticas

Um olivicultor de Alfândega da Fé, está a produzir azeite extra virgem em pó destinado à cozinha “gourmet” tendo por base azeitonas de qualidade produzidas no vale do rio Sabor e Terra Quente transmontana.
“Trata-se de um produto da gastronomia molecular, aquela que os chefes de cozinha fazem em pequenas quantidades para finalizar os seus requintados pratos. Com base nesta ideia, e após um aperfeiçoamento feito em São Paulo [Brasil], comecei a produzir e coloquei o produto no mercado”, explicou ao Mensageiro, o empresário agrícola Artur Aragão.

O olivicultor levanta o véu, contou que a fórmula é simples, mas sem falar em quantidades, e avançou que o azeite é desidratado, o qual passa um processo químico denominado “maltodextrina”, que se trata da hidrólise do amido ou da fécula.

Este processo decorre num espécie de “robô de cozinha”, mas em “tamanho industrial”, que vai juntar os ingredientes até o azeite ficar em pó.

“Após esta mistura de ingredientes, são adicionadas plantas aromáticas que crescem no nosso território, tais como a erva peixeira, alecrim, orégãos ou rosmaninho”, explicou.

O que começou por ser uma experiência da “gastronomia molecular” tornou-se, agora, num produto “único” capaz de satisfazer o palato dos mais exigentes apreciadores de azeite e seus derivados.

Para já foram produzidas cerca de 400 embalagens com diversos sabores e aromas que estão destinados a uma apresentação durante a Feira Nacional de Agricultura, que decorreu em Santarém entre os dias 10 a 18 de junho, antes da sua comercialização.

De acordo com o olivicultor de Alfândega da Fé, a comitiva que acompanhou o papa Francisco na sua peregrinação a Fátima recebeu um conjunto de quatro embalagens de vários sabores, destinado ao protocolo papal.

Também o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, foi igualmente contemplado
com a mesma unidade de azeite em pó da Casa Aragão, na sua passarem pela Feira Nacional de Olivicultura, que decorreu recentemente em Valpaços.

“O mais importante neste produto é chamar a atenção do consumidor para as vantagens do azeite extra virgem e virgem e que fale deste produto agrícola de grande potencial”, enfatizou.

Segundo o promotor do azeite em pó, este produto é ideal para finalizar pratos de carne, peixe, massas e saladas.

Para dar continuidade ao projeto do azeite em pó, há uma parceria entre a Casa Aragão e a empresa Mais Ervas, que se dedica ao cultivo de ervas aromáticas de formas a promover
ambos os produtos.

A Casa Aragão já colocou no mercado azeite com ouro comestível, o primeiro azeite biológico para crianças e outros produtos com o rótulo em Braile que se tornaram “inovadores”.

Em fase experimental está a elaboração de um caviar de azeite ou um chocolate de azeite.

Francisco Pinto
in:mdb.pt

Sem comentários: