domingo, 2 de julho de 2017

PSP faz 150 anos. Século e meio ao serviço da segurança de todos

Este domingo, dia 2 de julho, assinala-se o 150.º aniversário da Polícia de Segurança Pública (PSP). O Notícias ao Minuto foi procurar saber mais sobre a origem e história da PSP que, talvez não imagine, mas remonta ao século XIV.
Há século e meio a velar pela segurança dos portugueses, há século e meio a trabalhar a manutenção da ordem e da tranquilidade. A Polícia de Segurança Pública (PSP) celebra este domingo 150 anos.

Ao longo destes anos, passou por inúmeras alterações, por inúmeras conjunturas sociais, económicas e políticas, mas a génese da sua missão – a segurança dos cidadãos – mantém-se inalterável.

Dos ‘Quadrilheiros’ à Polícia de Segurança Pública

Os relatos históricos indicam que D. Fernando I, em 1383, foi o primeiro rei a adotar medidas de prevenção criminal através de um grupo de homens denominado de ‘Quadrilheiros’, criado para fazer frente à criminalidade crescente em Lisboa.

Mas foi, no entanto, no reinado de D. Luís, a 2 de julho de 1867, que foi criada a Polícia Cívica, em Lisboa e no Porto, de acordo com dados enviados ao Notícias ao Minuto pela Polícia de Segurança Pública. Estes corpos da Polícia Cívica encontravam-se sob a tutela dos respetivos governos civis, que dependiam do Ministério dos Negócios do Reino.

A designação de Polícia de Segurança Pública surge a 3 de abril de 1896 quando a Polícia Cívica foi divida em três repartições: Polícia de Segurança Pública, Polícia de Inspeção Administrativa e Polícia de Investigação Judiciária e Preventiva.

Com a queda da Monarquia e implantação da República foi criada, em Lisboa e no Porto, a 12 de outubro de 1910, a Guarda Republicana - mais tarde denominada por Guarda Nacional Republicana (GNR).

A Polícia Cívica viria a ser, porém, revalorizada em 1917, dada a realidade social que começou a viver-se no país com o agravamento da situação socio-económica. Criou-se então a Direção Geral de Segurança Pública, onde foram englobados todos os serviços policiais a nível nacional (Segurança, Investigação, Preventiva, Emigração e Municipal).

Dez anos depois, em 1927, o corpo da Polícia Cívica acaba por se extinguir dando então lugar à Polícia de Segurança Pública, coordenada e subordinada ao Comando Distrital de Lisboa.

As mulheres na Polícia de Segurança Pública

Embora a primeira mulher-polícia tenha sido alistada na PSP a 1 de novembro de 1930, sucedendo-lhe outras, nesta altura eram oficiais destinadas apenas a fins de assistências e ao serviço de vigilância de mulheres e crianças.

Pode dizer que só anos mais tarde, a 17 de janeiro de 1972 são admitidas de forma significativa mulheres na instituição: 229 agentes, que, na sua maioria, são colocadas no serviço de trânsito. Em março de 1980 foram admitidas mais, ainda assim das 14 mil candidatas, apenas 312 "assentaram praça".

Hoje em dia, há cerca de 1.700 mulheres ao serviço da Polícia de Segurança Pública, adstritas a variados departamentos.


Anabela de Sousa Dantas
Notícias ao Minuto

Sem comentários: