quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Plano de Desenvolvimento Rural 2020 com atrasos na aprovação de projectos no sector florestal

Associações e empresas florestais queixam-se da atribuição dos fundos comunitários no âmbito do Plano de Desenvolvimento Rural 2020 nesta área.
Os representantes de produtores florestais falam em atrasos na aprovação de projectos e põe em causa os critérios para o financiamento.
O presidente da Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente – a ANEFA, Pedro Ramos frisa que o tempo de demora para ver projectos aprovados faz com que muitos desistam de investir na floresta.
“O investimento florestal é sempre um problema porque estamos a falar de investimento a longo prazo com risco associado considerado relativamente alto. Normalmente o produtor florestal ou tem dinheiro e investe ou se existe a possibilidade de recorrer a ajudas comunitárias prefere esperar. Se chegamos a um quadro que supostamente seria entre 2014 e 2020, estamos em 2017 e 16,5% do montante que é destinado ao sector florestal aprovado, nem sequer está contratado ou executado. Atingimos metade do quadro comunitário e nem 25% de projectos aprovados nós temos”, explica. 
Pedro Ramos que é também técnico da empresa Forestefin, Florestas e Afins de Vila Flor, acusa os governantes de “não darem importância só se lembrarem da floresta quando arde.”
Abel Pereira presidente da Arborea a associação Agroflorestal e Ambiental da Terra Fria Transmontana explica que nem todos os projectos considerados viáveis são financiados.
Mesmo numa altura em que muito se discute a necessidade de uma reforma florestal, os produtores desta área queixam-se de não ter “um acesso fácil e rápido” para poderem melhorar a gestão das suas florestas. 

Escrito por Brigantia

1 comentário:

mensagensnanett disse...

A "Reforma Florestal" é igual à Golden-Share da PT, etc, etc, etc -» depois é tudo para ser vendido a multinacionais!
.
.
mais: SÓ O SEPARATISMO É QUE VAI PERMITIR SALVAR, QUER A PROPRIEDADE PÚBLICA, QUER A PROPRIEDADE PRIVADA TRADICIONAL
.
Existem dois tipos de bandos de mercenários camuflados:
--- 1--- os bandos de mercenários camuflados de LONGO PRAZO: estes mercenários camuflados [bom, no início até que existiriam dirigentes, naïfs, bem intencionados] já há muitos anos que sabem qual é o 'trabalhinho' que andam a fazer:
i) não gostam de, em nome da igualdade, premiar o mérito - acham que quem não gosta de trabalhar deve ter acesso ao passatempo de andar a ridicularizar aqueles que se esforçam/trabalham;
ii) mais, não gostam de austeridade, querem mais deficit (leia-se, quem vier a seguir que pague);
iii) Resultado: a longo prazo é implementado o caos... e depois, as riquezas do país são vendidas ao desbarato à alta finança (exemplos: ex-URSS, ex- RDA, etc).
--- 2 --- os bandos de mercenários camuflados de CURTO PRAZO (exemplo: os mais variados países da União Europeia):
i) vão vendendo tudo aquilo que puderem a multinacionais;
ii) vão desviando dinheiro dos contribuintes para a alta finança... para tapar buracos cavados pela alta finança (exemplo: veja-se o dinheiro enterrado pelos contribuintes nos buracos da banca);
iii) criam uma variada panóplia de leis que visam complicar a vida às micro, pequenas e médias empresas;
iv) ameaçam os pequenos e médios proprietários com uma variada panóplia de multas (e ameaças de expropriações) impelindo-os a venderem os seus bens, ao desbarato, às multinacionais;
v) Resultado (na União Europeia, e não só): analisando a evolução estatística, vê-se o óbvio -» a propriedade pública e a propriedade privada tradicional estão a desaparecer, em oposição, a propriedade das multinacionais (capital sem rosto) está a crescer avassaladoramente.
.
.
Só o separatismo é que vai permitir salvar, quer a propriedade pública, quer a propriedade privada tradicional!
.
Leia-se:
- Democracia sim, todavia, há que mobilizar aquela minoria de autóctones que se interessa pela sobrevivência da sua Identidade... para dizer NÃO ao nazismo-democrático, leia-se: é preciso dizer não àqueles que pretendem democraticamente determinar o Direito (ou não) à Sobrevivência de outros.
-» ver BLOG http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
{ nota: nazi não é ser alto e louro, blá, blá, blá... mas sim, a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros }
.
Leia-se:
- TODOS DIFERENTES, TODOS IGUAIS... ou seja, todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta.
[nota: Inclusive as de rendimento demográfico mais baixo... Inclusive as economicamente menos rentáveis... Inclusive as que procuram sobreviver pacatamente e prosperar ao seu ritmo]
Dito de outra maneira: os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins, que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
.
.
.
P.S.
Quando se fala em separatismo... os mercenários ficam a «espumar»: quanto menos territórios estiverem na sua posse, menos bens eles vão poder vender às multinacionais.