quarta-feira, 25 de julho de 2018

Carreira de tiro no distrito de Bragança sem solução à vista

Ainda não há solução para o problema da única carreira de tiro do distrito de Bragança, situada em Macedo de Cavaleiros, que foi destruída por um incêndio há quase um ano. 
O tema marcou as comemorações do 142º aniversário do comando distrital de Bragança da PSP, que tiveram lugar ontem em Mirandela. O comandante distrital, Amândio Correia, referiu que será entretanto recebida uma carreira de tiro móvel da polícia, contudo, afirma que "não é a mesma coisa".

"Ainda não começamos o nosso plano de formação de tiro que em regra serão quatro semanas para todo o efectivo. Ainda não o fizemos porque estávamos a pensar que poderia haver solução interna, não havendo, não é fácil operacionalizar a ida de 180 elementos da polícia ao regimento de infantaria de Chaves, também não é fácil o regimento disponibilizar-nos a carreira de tiro durante tanto tempo a carreira de tiro. A solução que a direcção nacional está a apontar é a utilização da carreira de tiro móvel", explicou.

Presente na cerimónia esteve ainda a Secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, que assegurou que o problema está a ser resolvido.

"Estamos a tentar precisamente resolver o problema. Vamos ver exactamente qual é de facto a melhor solução, em conjugação quer com a PSP quer com a GNR, no sentido de ter aqui, ter aqui ou repor a anterior, para resolver o problema. Temos uma lei de programação. que não só programou o investimento mas também tem capacidade para acolher este tipo de investimento, portanto não é por falta de financiamento que a questão não está resolvida e espero que esteja a breve prazo uma solução em cima da mesa", confirmou.

Sobre o problema, na cerimónia comemorativa do aniversário da PSP, a presidente da câmara de Mirandela, Júlia Rodrigues, abriu uma possibilidade: criar na cidade do Tua uma carreira de tiro.

"É um investimento que é necessário no distrito e aquilo que foi proposto foi abrir aqui esta oportunidade de reabrir a carreira de tiro. Eu julgo que era uma oportunidade, em conjuto com a PSP, fazer uma intervenção no terreno", explicou a autarca.

O Director Nacional da PSP, Luís Faria, reforçou que as dificuldades desta entidade, relacionados com equipamento informático e viaturas, ou número de agentes, estão identificadas e há um planeamento para que algumas possam ser atenuadas.

"No quadro de efectivos, à medida que haja novas admissões, iremos reforçar os efectivos em Bragança. Ao nível dos equipamentos e das viaturas também, sendo certo que, apesar dos meios terem alguma idade não afectam a operacionalidade. É sempre desejável haver uma renovação de meios e de efectivos", explicou o Director Nacional da PSP.

A esquadra da PSP de Mirandela foi promovida, no início deste ano, ao estatuto de complexa, no entanto não houve reforço do número de agentes, que actualmente é de cerca de 60.

Luís Farinha diz que o reforço está previsto, só não sabe para quando.

Ontem, o comandante distrital da PSP de Bragança apresentou números relativos a 2017 que evidenciam uma diminuição da criminalidade no distrito.

Escrito por Brigantia
Carina Alves

Sem comentários: