terça-feira, 10 de julho de 2018

Dois dias de Marcelo non-stop em Bragança

O "presidente dos afetos" presidiu às celebrações dos 500 anos da Santa Casa da Misericórdia de Bragança e dos dez anos do Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, tendo inaugurado, ainda, a nova Área de Acolhimento Empresarial das Cantarias.
Bragança foi uma vez mais a cidade anfitriã para o “presidente dos afetos”. E Marcelo Rebelo de Sousa, entre selfies, beijos e abraços, fez jus ao cognome durante os dois dias em que ocupou o cenário mediático da capital de distrito, apesar de uma agenda ininterrupta que tão pouco o deixou descansar.

Logo na sexta-feira, dia 6 de julho, momentos após se ter instalado na Pousada, dirigiu-se para o Teatro Municipal, onde foi o convidado de honra das comemorações dos 500 anos da Santa Casa da Misericórdia de Bragança (SCMB). Numa cerimónia que ultrapassou as duas horas e em que dezenas de instituições e personalidades foram homenageadas, entre as quais, o presidente da autarquia brigantina, Hernâni Dias, e o ex-secretário de estado da Administração Interna, Jorge Gomes, o Presidente da República discursou perante uma plateia repleta de convidados. Na sua intervenção, frequentemente aplaudida, Marcelo enalteceu o trabalho de excelência e mérito que tem vindo a ser desenvolvido pelo provedor, Eleutério Alves, ao longo dos anos, bem como a história de cinco séculos da Santa Casa que recorda um passado de caridade, de auxílio aos desprovidos e de solidariedade, frisando que todos os trabalhadores e colaboradores devem ter orgulho por terem a oportunidade de presenciar e viver a celebração dos 500 anos da instituição a que servem.

Já no sábado, 7 de julho, foi a vez do Centro de Arte Contemporânea Graça Morais (CACGN) receber a mais alta figura do Estado português, por ocasião dos seus dez anos. O Presidente da República presidiu a uma cerimónia, onde Graça Morais esteve em evidência, denotando uma relação de proximidade entre ambos. Tanto assim que Marcelo fez questão de salientar que exibe numa das paredes do seu quarto uma peça da artista transmontana para a qual olha sempre que acorda.

Presente na cerimónia esteve, também, o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Manuel Heitor, um confesso defensor do interior e cuja ligação ao Instituto Politécnico de Bragança (IPB) não tem passado despercebida, assinou um protocolo para a criação do Laboratório de Artes de Montanha Graça Morais, que irá ser dedicado à observação e documentação da obra da pintora transmontana. Aquele que é um projeto pioneiro no país, aproxima várias entidades, nomeadamente, o município brigantino, o IPB, a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, a Fundação para a Ciência e a Tecnologia, a própria pintora Graça Morais e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, entidade que homologou o referido protocolo.

Apesar de uma agenda completamente preenchida na sua visita de dois dias a Bragança, Marcelo Rebelo de Sousa fez jus ao cognome de “presidente dos afetos” não descurando as pessoas, entre as milhares de “selfies, abraços e beijinhos”

Depois das hostes discursivas, seguiu-se a inauguração de duas exposições. A primeira trata-se de uma nova mostra de Graça Morais, com cerca de 80 obras, muitas das quais inéditas. A segunda exposição a ser inaugurada foi uma retrospetiva da primeira década de atividade, naquela que é uma coletânea particular do CACGM, explicada passo a passo a Marcelo pelo diretor Jorge da Costa.

Ainda antes de almoço e apesar do considerável atraso na agenda presidencial, Marcelo Rebelo de Sousa não descurou a sua “obrigação” religiosa e ainda que sem tempo marcou presença na Igreja da Misericórdia, numa eucaristia presidida pelo Bispo da Diocese de Bragança-Miranda, D. José Cordeiro.

Sábado e Marcelo poderiam ter ficado por aqui, mas ainda havia uma inauguração e uma visita por concretizar, antes do descanso mais que merecido do “nosso” presidente. Num ritmo impróprio para cardíacos, sobretudo, para alguém já com 69 anos, o eleito dos portugueses e toda a comitiva dirigiram-se para a Zona Industrial, onde Marcelo iria inaugurar a Área de Acolhimento Empresarial das Cantarias. E foi aí que um avião com a mensagem “BRAGANÇA SAÚDA SR. PRESIDENTE MARCELO” rasgou o céu azul de Trás-os-Montes, naquela que seria a primeira surpresa da tarde do Aero Clube de Bragança destinada ao Presidente da República. Situada na Zona Industrial das Cantarias, esta área alberga uma nova Avenida, também inaugurada por Marcelo, denominada de “Dr. Mário Soares”, antigo Presidente da República.

De acordo com o executivo, este é um empreendimento no valor de global de 3,43 milhões de euros que “permitirá a absorção de investimento privado no concelho com vista ao desenvolvimento económico e social da região”. O projeto de 30 hectares inclui 46 lotes de terreno e tem a particularidade de ser criterioso na seleção das empresas que irá albergar, tendo em conta que as propostas para aquisição de lotes serão alvo de uma avaliação aprofundada sobre o impacto das empresas na região, quer em termos económicos, quer em termos sociais.

De sublinhar o esforço do município brigantino aquando das obras de construção da Área de Acolhimento Empresarial das Cantarias, já que desenvolveu diligências no sentido de preservar o “Tojal dos Pereiros”, um geossítio constituído por dois afloramentos rochosos com elevada importância do ponto de vista histórico, já que se estima que estas rochas tenham uma idade de 1079 milhões de anos, tornando-os no testemunho de formação mais antigo do país.

E como o prometido é devido, o Presidente da República, mais uma vez, cumpriu com a palavra dada, naquela que foi uma visita muito antecipada e muito ansiada às instalações da SCMB, sobretudo, pelos utentes, colaboradores, trabalhadores e direção de uma instituição que, em 2018, comemora cinco décadas de existência e como o próprio Presidente da República referiu, de “uma história que merece ser celebrada”.

Marcelo Rebelo de Sousa terminou, assim, a sua visita de dois dias a Bragança, tendo tido, ainda, direito a uma segunda surpresa antes de partir que muito o deliciou. Já no Aeródromo, bem próximo da pista, o Presidente da República foi surpreendido por caretos paraquedistas que caíram do céu. Uma “pequena” oferenda da responsabilidade da organização do Festival Aéreo Careto AirShow Vintage.

Galeria Fotográfica 1
Galeria Fotográfica 2

Bruno Mateus Filena
in:diariodetrasosmontes.com

Sem comentários: