sábado, 7 de julho de 2018

Notícias da aldeia

Por: Fernando Calado
(colaborador do "Memórias...e outras coisas...")
Às vezes apetece-me falar de banalidades que não interessam a ninguém… só para puder acreditar que a aldeia moribunda ainda regurgita de vida e é um lugar perto do paraíso.
… a quem pode interessar que o meu pequeno poço já tem dois nenúfares, um que em breve dará flores brancas e outro cor de rosa, dois jarros da água, um ranúnculo aquático, dez egérias densa, um lírio do vento, uma violeta de água e três papiros… de certo não interessa a ninguém estas pequenas coisas do meu quotidiano de memórias e pequenos nadas… tudo à medida da minha ínfima existência perdida a nordeste.
… já agora dou a notícia que também chegaram, sem anúncio prévio e por sua conta e risco, as rãs, as libelinhas e o sapo que há muitos anos é o jardineiro discreto… protetor das pragas do quintal.
Os peixes vermelhos… e as carpas nadam com se não houvesse amanhã à cata de mosquito descuidado que cai à água… e tão depressa estão no fundo misterioso do poço como se espraiam ao sol à superfície calma e em remanso…
… então o poço corre, ou quê?! Agora é que arranjou um entretimento!...
Dizem os vizinhos com um sorrisinho… como quem se ri de quem não tem mais nada que fazer…
… o poço corre… e correm os sonhos… as alegrias e as tristezas… as mágoas… e a esperança… a noite e o dia… e amanhã o nenúfar estará em flor e as alfaces já terão crescido e como diz o cantor:
- “a vida é feita de pequenos nadas”! O porco pisco repenica-se na oliveira e já fez o ninho!
… acredito!


Fernando Calado nasceu em 1951, em Milhão, Bragança. É licenciado em Filosofia pela Universidade do Porto e foi professor de Filosofia na Escola Secundária Abade de Baçal em Bragança. Curriculares do doutoramento na Universidade de Valladolid. Foi ainda professor na Escola Superior de Saúde de Bragança e no Instituto Jean Piaget de Macedo de Cavaleiros. Exerceu os cargos de Delegado dos Assuntos Consulares, Coordenador do Centro da Área Educativa e de Diretor do Centro de Formação Profissional do IEFP em Bragança. 
Publicou com assiduidade artigos de opinião e literários em vários Jornais. Foi diretor da revista cultural e etnográfica “Amigos de Bragança”.

Sem comentários: