quinta-feira, 12 de julho de 2018

PSD de Bragança preocupado com atraso nas obras nas urgências do hospital da cidade

A concelhia de Bragança do PSD está preocupada com a demora no arranque das obras nas urgências do hospital de Bragança. Foi anunciada no início do ano passado pela tutela a intervenção, destinada à criação de um novo bloco operatório e de um laboratório de análises clínicas na Unidade Hospitalar de Bragança.
O líder desta concelhia social-democrata António Baptista afirma não compreender o atraso.

“A nossa preocupação deve-se ao facto de ainda não terem sido iniciadas as obras para a criação de um novo bloco operatório e de um laboratório de analises clínica na unidade hospitalar de Bragança, mas também temos conhecimento que as obras no segundo piso da mesma unidade hospitalar também estão paradas há dois anos. A comissão política de Bragança do PSD, na defesa do superior interesse da população, apelamos ao governo que assuma como prioritário a execução destas obras”, referiu o dirigente político.

A concelhia receia que a situação coloque em risco a atribuição dos fundos comunitários ao projecto, visto que a candidatura no valor de 2,5 milhões de euros foi já aprovada em Setembro de 2016.

“Talvez possa vir a colocar em perigo a execução das obras, não temos a certeza se há algum risco, esperamos que não haja e que se prolongue a data. O que é certo é que isto está aprovado desde 2016, a data prevista para terminarem as obras era Outubro de 2018 e as obras ainda nem começaram”, afirmou.

Para além destas intervenções, a concelhia do PSD recorda outras promessas feitas para o distrito pelo anterior secretário de Estado da Saúde, no início de 2017, e que ainda não estão concretizadas

“Os compromissos de obras de beneficiação no serviço de cirurgia na Unidade Hospitalar de Mirandela, abertura numa Unidade de Convalescença no Hospital de Macedo de Cavaleiros e aquisição de um TAC para o Hospital de Bragança e temos conhecimento que nenhum deles foi cumprido”, salientou.

Contactada a administração ULS Nordeste, não quis comentar esta situação. No entanto, a Brigantia/CIR sabe que o arranque das obras está atrasado porque falta publicar uma portaria conjunta dos ministérios das Finanças e da Saúde para possibilitar a abertura do concurso internacional.

A concelhia do PSD de Bragança enviará agora estas preocupações aos deputados na Assembleia da República eleitos pelo distrito de Bragança. 

Escrito por Brigantia
Olga Telo Cordeiro

Sem comentários: