quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Quebra de 25 a 50% na produção nacional de batata

Foi um ano difícil para a produção da batata com uma descida entre 25% a 50%. 
A quebra de produção está relacionada sobretudo com as alterações climáticas. O país está longe de ser auto-suficiente nesta cultura, uma vez que consome o dobro do que produz.
António Gomes, da Associação da Batata de Portugal destaca que o problema reside nas condições meteorológicas, não favoráveis. "Este ano, foi um ano, claramente difícil. As condições meteorológicas foram muito diversas e muito contraditórias em relação aos outros anos e realmente tivemos algumas quebras entre 25 a 30%, talvez em alguns casos até superior, chegando a só se produzir metade do habitual", explicou António Gomes.

Para além da quebra de produção, também preocupa o engenheiro, a praga da batata da Guatemala, que afectou já 33 municípios da Galiza. "Desde há muitos meses que temos vindo a alertar o Ministério da Agricultura para este facto e daí já surgiu um plano de contenção da própria praga e também um plano de monitorização, vermos se a praga entra ou não entra em Portugal. É uma praga muito complicada. Está a dar muitas dores de cabeça aos nossos vizinhos da Galiza", referiu.

O mercado deste produto tem evoluído nos últimos anos, segundo António Gomes. "O mercado tem vindo a evoluir muito. Enquanto há uma década atrás, o mercado da venda tradicional, quer em mercados, quer mercados abastecedores, quer grossistas, era muito forte, nos últimos anos a venda a retalho tem vindo a crescer. Por outro lado, a área da transformação da batata cada vez mais está a evoluir", disse ainda.

O povo português consome mais de 900 mil toneladas, produz apenas 500 mil e ainda exporta 100 mil toneladas.

Escrito por Brigantia
Maria João Canadas

Sem comentários: