segunda-feira, 3 de julho de 2017

José Manuel Rodrigues

Coronel de artilharia, lente do Instituto Industrial e Comercial do Porto, professor de matemática no Liceu Central da mesma cidade e sócio correspondente da Academia Real das Ciências de Lisboa.
Natural de Varge, freguesia de Aveleda, concelho de Bragança, nasceu a 10 de Agosto de 1857 e faleceu no Porto a 16 de Março de 1916; filho de Martinho José Rodrigues, natural de Varge, e de D. Ermelinda Carlota, natural de Gimonde.
Fez os estudos liceais em Bragança e os da especialidade em Coimbra, concluindo-os em Dezembro de 1882.

Escreveu:
Memória sobre a teoria da balística, apresentada à Academia R. das Ciências de Lisboa. Lisboa, 1884. 1 vol.
Movimento do sólido livre. Lisboa, 1885. 8.º gr., de 30 págs.
Tábua balística. Lisboa, 1888. 8.º gr., de 23 págs.
Balística analítica. Fragmentos dum tratado de balística. Lisboa, 1888. 8.º gr. de 46 págs.
Les lois de Kepler dans la théorie de la rétrogradation des projectiles. Paris. 8.º de 11 págs. Esta memória foi apresentada ao Congresso de Besançon em 1893.
Tratado de álgebra elementar. Porto, 1894. 8.º de 415 págs.
Curso de trigonometria rectilínea. Porto. 8.º de 144 págs., uma de índice e uma de erratas. Tem gravuras em aço.
Convergência dos planos de tiro. 1906-1907. Descrevemos pelo Instituto (Agosto 1909), onde vem um largo estudo sintetizando a nova teoria do autor aplicada ao tiro de artilharia.
Álgebra elementar – Contendo uma colecção de exercícios resolvidos. Porto, 1909. Tip. da Viúva de J. da Silva Mendonça. 8.º de 269 págs. e uma de erratas. Foi aprovada oficialmente.
Além disto, tem colaborado no Jornal de Matemáticas, dirigido pelo doutor Gomes Teixeira, onde começou a escrever sendo estudante da Universidade, e na Revista Militar.
O grande talento matemático de José Manuel Rodrigues não foi avaliado merecidamente pelos contemporâneos, devido talvez à sua imensa modéstia, génio concentrado e carência da pose e ostentação que dá nas vistas.
A sua Memória sobre a teoria da balística, publicada pela tipografia Académica, que lhe valeu o ingresso na Academia Real das Ciências de Lisboa, mostra em seu autor «a revelação dum raro talento... que descobriu o que não fora visivel para genios de gloria immorredoura, dando á balistica o caracter positivo de que andava divorciada».
Na verdade, Didon, o conde de Saint Robert, o general M.Mayevski e outros distintos matemáticos ficaram muito aquém em seus estudos sobre o problema da balística da solução encontrada pelo nosso conterrâneo.
É «obra original na sua concepção e fecunda nas suas conclusões».
Como pároco da freguesia de Baçal e, por anexação, da de Aveleda, sentimos satisfação especial em consignar aqui as benemerências deste dilecto paroquiano. Em 1900 obteve do governo um subsídio de réis 200$000 para reparos na igreja matriz da Varge, com o qual se refundiu o sino maior que estava quebrado, levantou-se e rebocou-se a parede do adro, fazendo-se mais outros reparos. Também obteve para a de Aveleda 100$000 réis, que se gastaram no concerto da escada do sino, soalho do pavimento da igreja e reparação do arco cruzeiro.

Memórias Arqueológico-Históricas do Distrito de Bragança

Sem comentários: