terça-feira, 1 de agosto de 2017

Antigo Paço Episcopal de Miranda do Douro recebe obras de 370 mil euros em Setembro

O antigo Paço Episcopal fica situado nas traseiras da Sé de Miranda do Douro tendo a sua construção começado em 1616.
A Direcção Regional de Cultura do Norte (DRCN) anunciou nesta segunda-feira que as obras do futuro centro de acolhimento a visitantes no antigo Paço Episcopal de Miranda do Douro deverão começar em Setembro, estando orçamentados em 370 mil euros.

Segundo uma nota enviada à agência Lusa pelo organismo liderado por António Ponte, nas ruínas do Paço Episcopal será construída uma estrutura de acolhimento aos visitantes do conjunto catedrático da antiga Sé de Miranda, no que serão trabalhos inseridos na Rota das Catedrais do Norte de Portugal.

"Até ao momento, no âmbito deste processo, decorreram já os procedimentos legais de registo da candidatura, bem como foi necessária a obtenção de aprovação por parte do Tribunal de Contas", frisa a mesma nota.

Nesta altura, estão em conclusão os procedimentos para a realização de trabalhos arqueológicos que precedem a referida empreitada de instalação do centro de acolhimento.

O antigo Paço Episcopal fica situado nas traseiras da Sé de Miranda do Douro tendo a sua construção começado em 1616.

"Esta será uma obra emblemática para o Centro Histórico de Miranda do Douro, criando assim mais um centro de visitação a esta área da cidade, tornando-se num polo que vai enriquecer o valor histórico do monumento", frisou o presidente da Câmara Municipal de Miranda do Douro, Artur Nunes.

O programa da Rota das Catedrais do Norte de Portugal tem um investimento total de 2,5 milhões de euros e visa promover e consolidar o projecto nacional, iniciado em 2009, através de um acordo de cooperação celebrado entre o Ministério da Cultura e a Conferência Episcopal Portuguesa, indica a DRCN.

A Rota das Catedrais a Norte de Portugal compreende intervenções infra-estruturais de qualificação e valorização no património imóvel, móvel e integrado de sete Sés/Catedrais da Região Norte: Braga, Bragança, Lamego, Miranda do Douro, Porto, Vila Real e Viana do Castelo.

A coordenação e acompanhamento técnico é da competência da DRCN e a responsabilidade financeira é repartida entre as entidades eclesiásticas de acordo com a natureza da intervenção em cada catedral.

Agência Lusa
Jornal Público

Sem comentários: