terça-feira, 9 de maio de 2017

Corte de árvores para construção de rotunda gera controvérsia

As obras na rotunda junto à subestação da EDP em Bragança começaram e já estão envoltas em polémica. Várias árvores com cerca de 20 anos, foram cortadas, o que está a ser contestado pelo Partido Socialista. Carlos Guerra, candidato à Câmara Municipal de Bragança, veio já criticar esta acção.
“Nenhum corte com esta razia nunca seria justificável, para se fazer a rotunda havia espaço mais do que suficiente, poderia sacrificar-se uma ou duas árvores, mas elas demoram tanto a crescer e a cidade fica tão melhor que é lamentável, critica o dirigente socialista.

O dirigente socialista lamenta o que considera ser uma “sanha de perseguição às árvores” por parte do executivo.

O presidente do município de Bragança, Hernâni Dias, garante que o executivo tem “uma grande consciência ambiental”, e que é isso que está precisamente na base da substituição da rotunda com semáforos por uma rotunda.

“É uma pena abater árvores nem que seja só uma, mas neste caso concreto tem de ser, porque a construção da rotunda obriga a isso. Nós temos grandes construções ambientais e este ano já plantamos à volta de 500 árvores na cidade”, frisa o autarca. Hernâni Dias salienta que “também é necessário pensar nos benefícios que esta rotunda traz, pela não emissão de CO2 para atmosfera, uma vez que não haverá tantas viaturas paradas nos semáforos, e em termos económicos, porque haverá menos consumo de combustível, e de tempo para os cidadãos”.

A rotunda vai substituir os semáforos no cruzamento da subestação da EDP, junto ao IPB, tal como acontece perto do hospital, obra que os socialistas também criticam. Carlos Guerra afirma que neste caso há problemas de construção, visto que os camiões têm dificuldade em contorná-la.

O PS de Bragança vai agora inquirir a câmara acerca destas obras e corte de árvores. 

Escrito por Brigantia

Sem comentários: