quarta-feira, 24 de maio de 2017

João Inácio Teixeira de Meneses Pimentel

Engenheiro agrónomo director da Estação Trasmontana de Fomento Agrícola, sócio do Instituto de Coimbra, cavaleiro da ordem de S. Tiago. Nasceu no Mogo de Malta, concelho de Carrazeda de Ansiães, a 10 de Fevereiro de 1859 e faleceu em Abreiro, concelho de Mirandela, onde casara, a 30 de Dezembro de 1915. Era filho de João Evaristo Teixeira de Almeida Meneses Guerra e de D. Sancha Augusta de Almeida Pimentel, viscondessa de Barcel. Fez os estudos liceais em Braga e no Porto e os da especialidade no Instituto Geral de Agricultura, que concluiu em 1886, sendo colocado como agrónomo subalterno em Bragança. A portaria de 18 de Fevereiro de 1889 incumbiu-o de proceder em Trás-os-Montes a ensaios de criação do sirgo e produção de semente sã pelo método Pasteur, de onde resultou a sua obra Tentativa de um plano de regeneração de sericicultura, adiante mencionada, e o decreto de 29 de Outubro de 1891, que transformou a Estação Químico-Agrícola da segunda região agronómica de Mirandela em uma Estação de Sericicultura, sob a sua direcção.
No ano lectivo de 1899-1900 foi nomeado professor técnico da Escola Nacional de Agricultura de Coimbra, onde apenas esteve alguns meses, por ser enviado à Madeira em comissão oficial e no regresso reconduzido à direcção da Estação Sericícola de Mirandela.
Em 1909 foi chefe de gabinete do ministro das Obras Públicas, Barjona de Freitas, sendo por ele mandado à Espanha estudar os processos de cultura de flores e frutos. Desta missão resultaram as publicações respectivas adiante mencionadas. Foi presidente da Câmara Municipal de Mirandela e representou o nosso governo no Congresso Internacional de arroz em Valência, seguindo depois em missão pela França, Itália e Suíça. Ultimamente estava colocado em Lisboa, onde era chefe do 3.º grupo dos serviços agrícolas da direcção agrícola do centro. Além de vários relatórios oficiais, publicou Sericicultura Portuguesa. Lisboa, Administração do Portugal Agrícola, 1902. 8.º peq. de 374 págs.
Colaborou no Portugal Agrícola, onde escreveu muitos artigos, principalmente nos anos de 1892 e 1893. Também há colaboração sua na Agricultura Nacional, especialmente em 1893, na Gazeta das Aldeias, de que foi redactor, e em vários outros jornais.
No Boletim da Direcção-Geral de Agricultura, XIV ano, nº 41, 1891, vem publicado um seu relatório sobre sericicultura. Deste trabalho há uma separata com o título Tentativa de um plano de regeneração de sericicultura portuguesa – Mapas do movimento comercial de produtos agrícolas naturais e derivados, preparados durante os anos de 1870 e 1890. Lisboa, 1892. 8.º de 217 págs. No mesmo Boletim há vários outros trabalhos da autoria de Meneses Pimentel.
Almeria – Los parrales de uva de Oharrez e uva de casta, engarfe ou fecundação artificial, regras de venda da uva de Almeria na América do Norte. Lisboa, 1910. 8.º de 22 págs.
Valência e Barcelona – Frutos, legumes e flores – Horticultura e arboricultura – Forçagem ou cultura forçada – Colheita, conservação e acondicionamento de frutos, legumes e flores cortados para transporte – Criação de parques e jardins. Lisboa, Imp. Nacional, 1910. 8.º de 118 págs.
A regeneração sericícola em Espanha. Lisboa, Imp. Nacional, 1910. 8.º de 48 págs. Estes três opúsculos são o resultado de uma missão agronómica em Espanha desempenhada pelo autor de ordem do governo.
Regiões pluviométricas do continente português. Lisboa, 1915, Imp. Nacional. 8.º gr. de 51 págs. com 4 mapas desdobráveis.
Este estudo foi publicado no Boletim da Direcção-Geral de Agricultura.

Memórias Arqueológico-Históricas do Distrito de Bragança

Sem comentários: