quarta-feira, 24 de maio de 2017

Concelho de Vinhais vive uma situação catastrófica com a vespa da galha do castanheiro

“Uma calamidade para os produtores de castanha.” É desta forma que é descrita a situação vivida em Edral no concelho de Vinhais, onde foram detectados mais de 1000 castanheiros infectados com a vespa da galha do castanheiro.
Segundo a câmara municipal de Vinhais, esta é uma situação incontrolável na zona da Lomba, em 13 aldeias, afectando centenas de produtores, mais de 3 mil soutos e mais de 100 mil árvores.
A preocupação é maior porque pela primeira vez na terra fria transmontana há castanheiros adultos atingidos, o que vai implicar que se recorra à luta biológica.
João Fernandes de 63 anos tem 15 hectares de castanheiros e em todos os soutos detectou gomos vespa da galha do castanheiro. Estava a aumentar a produção mas teme este ano já não apanhar metade da castanha em comparação com o ano passado. “Eu só detectei este ano mas no ano passado, já houve aqui muita gente que encontrou nos seus castanheiros. Mas este ano foi uma loucura não sei porquê, mas eu acho que a produção dos meus castanheiros vai cair para metade já este ano e se assim continuar para o ano fica a zero, porque todos os ramos que tiverem vespa não dão castanha”, explica.
Octávio Domingues detectou gomos da vespa em vários soutos que tem na aldeia, que é a maior produtora da zona da lomba, e explica que nestes casos ao contrário das novas plantações não é viável cortar os ramos atacados. “Para já são só três mas não quer dizer que para a frente não fiquem todos afectados, mas é a primeira vez que vejo a vespa em castanheiros velhos, nestes a situação é mais complicada, porque cada corte que fazemos é produção que termina, vai ser uma grande quebra na produção de castanha”, lamenta.
Nos castanheiros adultos, a resposta será a luta biológica, através da largada de um parasitóide que irá combater a praga. Daí que o município de Vinhais tenha apelado a uma intervenção por parte da direcção regional de agricultura e pescas do norte. Luís Fernandes, vice-presidente da câmara pede que o ministério da agricultura controle a venda de árvores e apoie nos prejuízos “este ano estão-se atingir proporções catastróficas e o que nós exigimos é que haja por parte do ministério da agricultura uma forte intervenção nesta área quer ao nível da sanidade vegetal, isto é, de haver um controlo sobre a venda das árvores, que não há, e essa é uma das razões para se chegar onde chegou, é preciso ter em atenção um plano para resolver a situação.”

Abel Pereira, o presidente da Arborea – a Associação Agro-florestal e Ambiental da Terra Fria Transmontana, explica esta era a situação que se temia desde que a praga entrou em Portugal, mas estima que não haja perdas imediatas na produção.

A aldeia de Edral é a mais afectada mas em toda a zona da lomba o problema está a praga está presente. A castanha movimenta valores que podem atingir os 15 milhões de euros por ano no concelho de Vinhais. 

Escrito por Brigantia

Sem comentários: