quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Notícias da aldeia

Andou na Guiné. Fala de minas e armadilhas. Negros que morriam a sorrir. E o céu tão perto! Tomara-me eu nesse tempo! Sorri num sorriso miudinho... Stress de guerra! Que orgulho!.. 
- Agora ando por aqui... até que Deus queira...gosto de ir à pesca...deixe que saia a formiga e vai ver como os gajos caiem!... barbos assim...E os braços abrem-se na medida exata do desejo...o senhor vai ver!
Não o tenho visto... agora anda mais pela cidade...hei-de lhe ensinar onde se bebe um copinho de vinho... fresquinho... e só se paga vinte cêntimos... noutros sítios levam oitenta... gatunos!... 
...e assim vai a vida! 
...e assim vai a vida... que pena eu tenho, amigo, de não beber...um copinho fresquinho por vinte cêntimos. 
...que pena!

Por: Fernando Calado

Sem comentários: