sexta-feira, 30 de junho de 2017

Certezas sobre os acordos de associação para o Colégio de Chacim só nos finais de agosto

No colégio Ultramarino Nossa Senhora da Paz, em Chacim, seguem as tentativas de negociação com o Governo, no seguimentos dos acordos de associação para financiamento de duas turmas. Teresa Fernandes, Superiora-Geral desta instituição, transmite que, neste momento, paira um clima de preocupação sobre o futuro.
As Irmãs analisaram comigo há poucos comigo esse aspeto, e realmente estamos preocupados, porque não há crianças. Mesmo que tenhamos o apoio do Estado, não temos crianças, porque nos limitaram o espaço. Se autorizassem que as crianças de Macedo de Cavaleiros fossem para Chacim, então tínhamos crianças suficientes.

O colégio foi sempre gratuito. Os alunos ali não pagavam nada, Tínhamos o subsídio do Estado, e o resto é o trabalho das Irmãs.

Hoje, se o subsídio do Estado falha, os pais nesta zona também não têm (vejam as aldeias, como estão) essa possibilidade de pagar.

Temos apelado ao Estado, não temos dormido. Temos insistido, em correspondência, para trás e para diante, mas neste momento, e até meados de agosto, não temos nada certo.
Este colégio que poderia, nos mais recentes acordos assinados com o Governo, receber apoios estatais para duas turmas, valor de 80.500 euros por cada uma, de 5º e outra de 7º ano. Faltam crianças para o 3º ciclo. Sem dinheiro, não se poderá fazer milagres.

Poderá acontecer que o colégio vá morrendo lentamente. Não podemos fazer milagres.

O ano letivo pode vir a ser complicado para nós, na medida em que estamos ao serviço de um povo, e agora não podemos estar. Era uma mais-valia na educação. Temos recebido ali crianças com várias lacunas, no espaço da educação, e até psicologicamente. Tem feito um trabalho excelente aquele grupo de professores.
Os acordos de associação, a vigorar por três anos letivos, apenas contemplam alunos das freguesias de Chacim, onde está o colégio, Peredo, Olmos e Lombo. Destas 4 aldeias resultam 4 inscrições, o que se mostra manifestamente insuficiente para formar uma turma. Seguem as tentativas de negociação com o Governo central. Até agosto fica a incerteza.

Declarações à margem do Dia do Município, onde as Servas Franciscanas Reparadoras de Jesus Sacramentado, responsáveis também por esta instituição de ensino, foram agraciadas com uma medalha de honra do município. Igual condecoração foi atribuída à Congregação dos Marianos da Imaculada Conceição de Balsamão.

Escrito por ONDA LIVRE

Sem comentários: