quarta-feira, 3 de maio de 2017

Bombeiros Voluntários de Macedo de Cavaleiros não chegam para os serviços

Faltam operacionais no corpo de bombeiros de Macedo de Cavaleiros.
Ontem, em reunião de câmara, foram recebidos o presidente da direção da Associação Humanitária e o comandante da corporação, a pedido do vereador do PS, Rui Vaz. Uma reunião que vai ter um “bis” dentro de duas semanas. Foi produtiva esta primeira leva, afirma Rui Vaz, onde fica a certeza de que não se podem assegurar serviços com base no voluntariado.

“Podemos constatar que o maior problema que se passa hoje nos Bombeiros de Macedo tem a ver com o voluntariado. Não se podem hoje assegurar serviços, à dimensão que eles têm, no concelho de Macedo e nesta corporação, com base em voluntariado.

É uma situação que tem que ser ultrapassada. Ficamos na câmara municipal de, nestes 15 dias, e depois de reunir novamente o executivo com a direção e com o comando, para que na próxima reunião, de forma mais concreta, a câmara possa avançar com algumas soluções para ultrapassar este constrangimento.”
Falta gente, mas foram 4 profissionais foram dispensados recentemente. Rui Vaz transmite a explicação que lhe foi avançada, e não descarta, na sua opinião, a hipótese da municipalização da corporação.

“Essa (a municipalização) será, com certeza, uma das soluções. Mas a autarquia terá que ponderar, e certamente daqui a 15 dias estaremos a falar sobre essa ou outras que eventualmente aparecer.

Efetivamente, houve não renovação de contrato de 4 pessoas que trabalhavam na instituição. Por aquilo que percebi, essa não renovação não se prendeu meramente com questões de ordem financeira, mas de opção por parte da direção tendo em conta a as características das pessoas em causas. É o que nos é transmitido. Vamos aguardar.”
Rui Vaz que, novamente, afasta neste momento alarmismos em volta do tema.

“Quando se detetam algumas falhas, e elas podem acontecer em qualquer instituição, e nós percebemos a dimensão dos serviços que são efetuados, as coisas mudam um pouco de figura. Porque todo o caso, só por si, de socorro que possa falhar, pode ter consequências. Quando falha uma situação em 100, é uma coisa. Quando falha uma em 8 mil, são coisas distintas. Fiquei mais descansado, mas também preocupado, porque aquelas que são as carências têm que ser ultrapassadas com urgência.”
Fica a aguardar-se a segunda reunião entre o executivo camarário e os Bombeiros de Macedo de Cavaleiros, que deverá acontecer daqui a 2 semanas, e que se espera que seja mais conclusiva.

Escrito por ONDA LIVRE

Sem comentários: